Publicidade:

segunda-feira, 27 de março de 2017

Dissecando Os Reinos de Drunagor


Pra início de conversa, quando eu joguei Os Reinos Drunagor achei um jogo bacana (tem até resenha), mas que não era pra mim, ele é um gateway bacana, mas inicialmente não peguei o projeto, até ver o resultado final, aí não tive pra onde correr e ao receber a minha cópia não me arrependi pelo investimento.

A Histeria está conseguindo, a cada projeto, ganhar mais crédito com o público, dessa vez entregou um jogo com mais de 70 miniaturas, dentro do prazo e com qualidade.

A parte gráfica foi feita no Brasil e ainda não estamos alinhados 100% com o que é feito lá fora, alguns deslizes aconteceram, mas no geral impressão, corte e laminação estão bastante bons, a caixa está resistente a abrindo fácil e pasmem, tem um insert que não tinha nem foto meramente ilustrativa e foi uma surpresa excelente.

Produção show de bola, com um insert inspirado.

Agora falando especificamente das miniaturas, a aposta na produção chinesa é sempre algo temeroso, desde grandes designers (como o Martin Wallace) aos iniciantes, como o Daniel, o lance é mandar fazer e torcer pelo melhor, pois as vezes mesmo tendo conhecimento do trabalho dos caras, nem sempre o resultado agrada ou o pior, chega no prazo.

Dessa vez tudo deu certo, o prazo foi cumprido, as miniaturas ficaram excelentes mesmo, todas elas com o nível bacana de detalhamento e para a galera que curte pintar, vão ter um prato cheio para se divertir com elas.

Fechando meus comentários sobre a produção, só não curti as pecinhas plásticas "tipo jujuba", realmente não entendo essa predileção que o pessoal tem por elas, pra mim elas são feias e as cores confusas (marrom e preta são praticamente iguais), tirando isso mais uma vez a Histeria consegue entregar o jogo prometido no prazo e com qualidade.

As miniaturas produzidas na China, ficaram excelentes.

E pra não dizer que não falei do manual, bem, esse é ainda o "Calcanhar de Aquiles" da empresa, o manual do Drunagor não é dos piores, mas falta linearidade na explicação, maior detalhamento dos elementos e melhores exemplificações, mas deu pra ler e jogar sem ficar em dúvida das regras (eu realmente não lembrava de praticamente nada).

Sobre a inclusão da expansão com regras para partidas solo e cooperativas, as duas novas versões de partida são bem interessantes. A solo traz níveis de desafios bacanas, tem um mercado de artefatos únicos que dá uma ajuda ao valente herói e um sistema de movimentação/respawn dos monstros que funciona e faz o mapa ficar apertado e perigoso.

Parte gráfica se ainda não tá 100%, está caminhando pra isso.

A versão cooperativa tem uns detalhes bacanas como prédios comuns aos jogadores participantes, e um aumento grande da força dos monstros baseado na quantidade de jogadores, além do enfraquecimento do Dragão pelo set-collection dos artefatos.

Das outras adições da expansão Reinos Ancestrais, ainda não testei os prédios dos Reinos Independentes, nem as classes dos heróis, mas parecem coisas que valem à pena colocar logo de cara, tanto que todos os componentes já estão juntos na caixa base.

Partidinha solo pra testar, tensão até a última rodada.

Nenhum comentário: