sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Dissecando o Moongha Invaders


A três anos atrás o grande Martin Wallace fechou um projeto via KickStarter chamado Moongha Invaders. Era sua primeira com miniaturas de plástico e como esperado foi um sucesso.

A promessa era do jogo ser entregue em julho de 2013, bem, mais de dois anos depois de MUITOS problemas com produção, finalmente o jogo chegou na casa dos financiadores e a pergunta é : valeu a espera?

Uns três quilos de componentes para compensar o tempo de espera.

Ao abrir a caixa (que é tão grande quanto a do Caverna e maior que a do Terra Mystica) temos mais de 3kg de cartolina, papel e plástico, muito plástico.

As cartas ficaram ótimas, o tabuleiro é lindo, agora o cerne do problema, as miniaturas de plástico, ficaram bacanas, mas abaixo da qualidade de uma Cool Mini or Not e algumas vieram empenadas por conta do transporte, mas nada que água quente não resolva.

Junto com outros jogos da Treefrog ele destoa pelo tamanho

O Moongha Invaders, na verdade acabou sendo dois jogos em um, pois um dos bônus alcançados via KickStarter foi a versão para dois jogadores, que é completamente diferente em mecânica do jogo original para 3 ou 4 jogadores. Vou falar agora um pouco da versão full que foi a que joguei ontem.

No jogo somos um time de monstros dispostos a causar o máximo de destruição nas cidades do mundo, e assim deixarmos nossa marca para posteridade (e ganhar pontos com isso).

Para atrapalhar temos os monstros dos outros jogadores, heróis e as forças armadas que tentam a todo custo impedir a destruição mundial.

Mas as miniaturas ficaram bacanas.

A mecânica do jogo tem bem a cara do Martin, temos 7 ações disponíveis no jogo, a cada rodada temos um setup inicial fixo de tokens para elas e uma rolagem de dados para que essas ações recebam mais tokens e assim elas possam ser realizadas mais vezes.

Os jogadores se revezam realizando essas ações (que variam entre pipocar monstros, atacar cidade/monstros/militares, mover, colocar militares/heróis no jogo) e quando todos passarem a rodada acaba e uma nova se inicia.

Durante o jogo, os monstros atacando as cidades pelo mundo.

O jogo termina quando finalizamos a 9ª rodada (no caso de 3 jogadores) ou na rodada em que um dos jogadores não tiver mais marcadores de escombro para colocar no tabuleiro.

Quando isso acontece vamos a pontuação (são 4 formas de se pontuar no jogo) e quem tiver mais pontos no final é a grande gangue de monstros!!

Visão geral do tabuleiro durante a partida.

O jogo é bem consistente, gostoso de jogar, tem uma duração bastante boa (foram umas 2 horas com três jogadores) e fica visualmente muito maneiro.

Respondendo a pergunta lá de cima : Cara, esperar 2 anos para receber um jogo é complicado, mas o resultado do Moongha Invaders não decepciona, e é com certeza um dos melhores lançamentos do Martin Wallace nesses 3 anos desde que ele abriu o financiamento.

Minha medalha de paciência assinada pelo "tio" Martin.

2 comentários:

Thiago disse...

Legal o review o Cacá!

eu na época pulei fora.. achei q ele ia se enrola nas minis não deu outra! curiosamente entrei em outro KS de minis, poucos meses depois q ainda não foi entregue! =X

Carlos "Cacá" disse...

Pois é Thiago, a gente acaba fazendo essas opções e acaba se arrependendo de umas... Eu pulei fora do KS do On Her Majesty Request e foi "só" o melhor jogo que eu joguei esse ano...