Publicidade:

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dissecando : Imperial Assault


Ontem fui ao Boards & Burgers com a missão de destacar, conhecer e jogar o Imperial Assault, novo dungeon-crawler da Fantasy Flight ambientado no universo Star Wars.

A primeira impressão é das melhores possíveis, uma mega-caixa com um milhão de componentes e miniaturas que fazem qualquer fã da série (e de jogos em geral) ficarem doidos.

Muitas, muitas pecinhas mesmo na caixa.

Enquanto destacávamos as pecinhas, já íamos preparando o setup para a primeira missão do jogo que serve como aprendizado para as regras básicas.

Falando das regras, o Imperial Assault é um cooperativo onde até quatro jogadores enfrentam um "overlord" que comanda as tropas imperiais dentro das missão proposta, no nosso caso era matar um dos heróis ou chegar a um dos computadores.

As miniaturas são um show à parte.

Os jogadores Rebeldes revezam com as tropas Imperiais na resolução das ações, os jogadores não podem se repetir até todos terem terminado de jogar.

Ambos tem 2 ações para realizar dentre algumas disponíveis, e essas ações são mover, atacar, interagir com o cenário e descansar (para recuperar fadiga).

Cada personagem tem um deck de upgrades e uma arma especial.

Como na maioria dos jogos desse tipo, cada personagem tem um atributo diferenciado, tanto para os heróis como para os vilões dando uma variada boa em movimento, tipos de ataque e afins.

Outra coisa que eu gostei no Imperial Assault (e para quem conhece jogos tipo Descent já está familiarizado) foi o combate com um monte de dados coloridos com várias faces diferentes, muitas combinações com os poderes especiais de cada personagem.

Dados e mais dados (de ataque e de defesa).

A partida de apresentação é muito vaga, deixando várias coisas (como upgrades dos heróis) de fora, mas já deu para gostar muito do jogo (apesar de termos sucumbido às tropas Imperiais).

Imperial Assault com certeza é mais uma franquia que a Fantasy Flight está trazendo e que vai causar um "buraco-negro" no seu orçamento.

Mas infelizmente mataram nosso amigo wookie e os Rebeldes perderam.

2 comentários:

Thomás Camargo disse...

Uma coisa que fiquei muito na dúvida nessa missão e nas outras seguintes, é o que ele quer dizer com MORTE.

Quando um herói chega a 0 em sua quantidade de Health, a carta do herói é virada para o lado "WOUNDED", que seria ferido, e ele começa denovo seus marcadores de vida e fadiga. Somente chegando a ZERO denovo desse lado da carta, é que ele é considerado MORTO ("whithdral").

Portanto não sei se a missão acaba quando ele fica WOUNDED ou somente no WHITDRAL.

Se souberem me responder, avisem.

Abs

Carlos "Cacá" disse...

Pois é Thomás, na partida que jogamos convencionamos que quando ele virou a primeira vez a carta (quer dizer, zerou a primeira vez) ele foi considerado derrotado e perdemos o cenário...

Mas precisaria ler as regras todas com calma pra tentar entender isso... :)