Publicidade:

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Conhecendo o Fortaleza de Berdolock


Perto de ser lançado na versão print and play, tive a oportunidade de conhecer as regras e dar uma primeira olhada na arte do Fortaleza de Berdolock, um dungeon crawler criado pelos amigos da Riachuelo Games nos anos 90 e que agora está recebendo um tratamento mais moderno com regras revisadas.

Nele os jogadores tem pontos de ação que serão utilizados para abrir portas/tesouros, desarmar armadilhas, utilizar poderes e entrar em combates. A movimentação dentro das salas é fixa, podendo mover-se por até 4 espaços.

As salas redesenhadas, cada uma com desafios diferentes.

A cada nova sala aberta temos novos desafios até chegarmos a grande sala onde o Lich (chefão do jogo) está esperando para dar fim aos aventureiros.

As miniaturas estão lindas, os cenários e as cartas estão caprichados e a versão print-and-play está programada para ser lançada até o final de setembro, portanto vale a pena separar um tempo para montar o Fortaleza de Berdolock e dá tempo para ir pegando as miniaturas para deixar o jogo ainda mais bacana.

As miniaturas esculpidas especialmente para o jogo.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Resenha : Masmorra de Dados


Hoje, depois de mais de 15 dias de campanha e passando dos 200% já financiados, o Masmorra de Dados já um dos projetos de maior sucesso do mercado nacional.

Esse fim de semana tivemos o prazer de receber os amigos Patrick Matheus e Daniel Alves que vieram especialmente ao Castelo das Peças para apresentar o jogo aos jogadores cariocas.

Dados (azuis) de ação, tiles, dados de monstros e o dado de heróis (protótipo).

O jogo é um dungeon crawler com dados, nele cada jogador escolhe um personagem, com poderes diferentes, e tem por objetivo ganhar mais pontos de experiência do que seus adversários.

Na sua jogada você tem seis dados de ação que são rolados até 3 vezes e que são os responsáveis por tudo que você pode fazer na sua rodada.

A ficha dos personagens, com os poderes especiais e local para dados já usados.

Basicamente o Masmorra de Dados é assim, quando abre tile de tesouro usa uma das faces que você tem guardada para abrí-lo (ganhando dinheiro e carta de ação), tile de monstro, rola um dado pequeno (ou grande dependendo do andar da masmorra) e enfrente as consequências, abriu armadilha, toma um dano na cabeça e tenta desarmar com os dados tirados.

As ações que vão te trazer pontos de experiência são descobrir novas salas, enfrentar monstros (caso eles surjam) e desmontar armadilhas. Mas todo o seu planejamento deve ser feito ANTES de começar efetivamente a explorar as salas, por que uma vez que você comece a utilizar os dados de ação, você não pode mais rolá-los novamente.

Protótipo dos dados de monstros, pequenos para os simples
e grandes para os "parrudos".

O jogo tem a duração certa para a proposta, a dose certa de estratégia e diversão, e vai agradar aos jogadores tanto de RPG quanto aos de jogos de tabuleiro, tanto pelo tema, quanto pelas ilustrações.

Ainda faltam mais de 40 dias de financiamento, o que dá tempo para os amigos que ainda não entraram na "masmorra" entrem, pois estamos falando de um dos jogos mais bacanas do mercado nacional e que está até agora "destruindo" as metas estendidas colocando versão solo e cooperativa, novos personagens, novos monstros e transformando o Masmorra de Dados um jogo obrigatório na sua coleção.

Masmorra de Dados, se você ainda não tá "explorando", não perca a chance!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Castelo com Campeonato de Catan

Nesse sábado rolou um Castelo das Peças muito especial, primeiro por conta da presença da Conclave, da Taberna do Dragão, da Riachuelo Games e da Ace Studios e depois (mas não menos importante) pela etapa carioca do Campeonato Brasileiro de Catan realizado em parceria com a Grow.

Com tantos eventos importantes rolando, cheguei bem cedo à UVA e de primeira fui conhecer o badalado Masmorra de Dados, que vai ganhar post exclusivo amanhã com resenha e gameplay, mas vale dizer que se você ainda não colaborou, está perdendo tempo... JOGAÇO!

Muitas mesas, muitos jogos no Castelo desse mês.

Depois fui aprender o Fortaleza de Berdolock, que também vai ganhar post exclusivo, mas é outro que ainda esse ano sai em versão print-and-play e está com arte bacanuda, miniaturas lindas e regras que agradaram bastante.

No decorrer da tarde, começou a etapa carioca do Campeonato de Catan, que esse ano acabou fazendo menos sucesso do que a edição de 2012 (talvez por menos divulgação por parte da Grow que antes tinha um site exclusivo para o evento).

Masmorra de Dados passando (com méritos) pelo controle de qualidade.

Com 8 participantes foram montadas duas mesas, de onde sairiam os quatro finalistas.

Eu fiquei em uma mesa boa e rápida, em pouco mais de 40 minutos de partida tínhamos fechado os 10 pontos, com o Valter em primeiro eu e o Will empatados em segundo e o Carlos em terceiro, saí da mesa final pelos critérios de desempate.

A segunda mesa demorou muito mais, foram mais de duas horas e meia de partida para definir o Marcos em primeiro, Marcelo e Mike em segundo e o Eduardo em terceiro (com o Marcelo entrando pelo desempate).

Mesa final do Campeonato Brasileiro de Catan.

A mesa final foi tranquila para o Valter que conseguiu ser o campeão e assegurou sua vaga na grande final que vai acontecer em São Paulo, o segundo colocado foi o Marcos seguido pelo Marcelo e Will.

Por não ter chegado à mesa final ainda deu tempo de conhecer o Tash-Kalar do Vlaada, com resenha ainda essa semana e jogar mais uma partida do Masmorra com direito a muito bate-papo com o Patrick e o Daniel que são gente finíssima.

E o grande campeão da etapa, o Valter Bispo (de azul).

Só não consegui jogar o Midgard do pessoal da Conclave, mas depois coloco no ar a resenha feita pelos amigos do Guadalupeças que curtiram muito o jogo.

E para finalizar, vale o registro que nessa edição a maioria esmagadora dos jogos que viram mesa foram edições nacionais, estamos finalmente chegando num ponto em que o mercado tem jogos suficientes para encher um evento do porte do Castelo das Peças, que registra mais de 50 pessoas por edição.

Outro que eu ainda não consegui jogar, mas o Vaporaria tá na lista!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Resenha : Neuroshima Hex!

Com a abertura da pré-venda da versão da FunBox Jogos para o Neuroshima Hex! eu resolvi jogar a versão lite para o iPad e ver como o jogo funciona.

Neuroshima Hex! é um jogo para 2 a 4 jogadores divididos em facções que tem por objetivo detonar o Quartel General dos adversários e assim ganhar o jogo.

Cada facção tem 35 hexágonos divididos em exércitos, ações instantâneas e bônus. Na sua rodada você vai receber 3 tiles, descartar um e colocar 2 no tabuleiro.

Quando o tabuleiro está sem espaço nenhum, detona-se uma batalha geral entre os tiles determinado pela iniciativa de cada um, as casualidades são retiradas do tabuleiro e novos espaços são abertos.

O jogo desenrola assim até um dos Quartéis Generais ser detonado ou uma das facções comprar o último tile, nesse caso quem estiver com seu QG menos detonado ganha.

Achei o Neuroshima Hex! bem dinâmico, com visual bonito e tranquilo de aprender e jogar, mesmo com tutorial da versão lite sendo bem ruinzinho, consegui entender o jogo na boa e com certeza vou pegar a versão da FunBox (que vem com uma facção exclusiva) e a versão full para o iPad.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Mangue e Marvel no Boards & Burgers

Ontem dei um pulo lá no Boards & Burgers para trocar umas "figurinhas" de Battle Scenes e acabei tendo a oportunidade de jogar uma partida (quase completa) dele e ainda conhecer o Manguetown.

Vou falar primeiro do Battle Scenes, joguei minha primeira partida, já com baralho montado com algumas cartas da nova expansão, estava indo até bem, mas contra a combinho Thor/Mjolnir/Invocar Relâmpago a coisa ficou preta pro meu lado.


Infelizmente não deu para terminar a partida, mas dificilmente eu conseguiria reverter o resultado de derrota (a pontuação já estava 8x5 para o meu oponente).

Agora vamos falar do Manguetown, projetinho que ainda está em fase final de projeto e já tem algumas artes iradas dos personagens e regras quase 100% finalizadas.

No final, ganhei com 3 localidades e meu time "boladão".

O jogo, um filler que comporta de 2 a 6 pessoas é baseado no universo criado por Chico Science e sua Nação Zumbi. Nele temos 9 localidades e os jogadores tem que disputar uma por vez até o primeiro conseguir 3.

A cada disputa são distribuídas 8 cartas por jogador, e na sua vez cada um baixa um dos personagens (que podem ou não ter poderes especiais) e quando todos passarem ou tiverem baixado suas cartas quem tiver o valor maior no seu time, leva a localidade.

As cartas estão com a arte muito caprichada.

A partida com 3 jogadores durou 20 minutos, foi bastante disputada (3-2-2) com várias reviravoltas durante as disputas. Acho que ainda precisam lapidar alguma coisa nas cartas (colocar mais localidades ou colocar mais cartas com efeitos), mas o jogo está bem redondinho quase pronto para ir para as lojas.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Resenha : Formula E


Jogamos esse fim-de-semana o novo jogo da dupla Sergio Halaban e André Zatz em parceria com o grande Bruno Faidutti, o Formula E.

O jogo saiu graças ao financiamento coletivo e depois de alguns obstáculos ele começa a chegar aos colaboradores e aqueles que aguardaram pacientemente tiveram uma grata surpresa.

O Formula E é uma corrida de elefantes com dois circuitos na Índia e que pega de 3 a 6 jogadores. Seria uma corrida tranquila se não tivéssemos as vacas sagradas no meio da pista, ratos que saem das tocas para assustar os elefantes e cobras que atrapalham os condutores.

Os elefantes correndo tentando desviar das vacas e fugir dos ratos.

As regras de movimentação são super simples, na sua rodada você pode jogar uma carta roxa (que são as mais rápidas), uma verde (de movimento) junto com uma amarela (de efeito) ou descartar qualquer número de cartas da mão para dar uma mexida nelas.

A movimentação é muito diferente do que eu já vi em jogos de corrida. Uma vez que os elefantes são grandes e estabanados, eles só andam em linha reta, mas se esbarram uns nos outros e acabam mudando de pista, então seu movimento tem uma dose de planejamento bem interessante para tirar proveito dos esbarrões adversários.

As cartas que são o "core" do jogo.

Outro ponto bacana do jogo são as cartas de efeito : temos o rato que faz os elefantes retrocederem, temos as cobras que reduzem o "hand-limit", a prece que compra carta do descarte, o tapete mágico que faz os elefantes passaram por cima e outras cartas que tornam o jogo divertido.

Eu curti muito o Formula E, eu espero que os autores façam novas pistas (mesmo que sejam para print-and-play) pois o jogo merece uma atenção e um lugar na prateleira.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Novidades Battle Scenes

Essa semana recebemos o material da nova expansão do Battle Scenes. Chamada Múltiplas Identidades o foco é dado a vilões que viram heróis, heróis que mudam de uniforme e identidade e outras reviravoltas que acontecem muito nos quadrinhos.


Outras alterações interessantes estão nas regras, com a Fase de Ajuste sendo oficializada e a inclusão dos personagens EV, que ocupam o espaço de outros personagens e dão um upgrade em alguns poderes.

Para quem tem acompanhado o Battle Scenes, essa é uma expansão bacana, com muitos personagens entrando em cena e outros assumindo novas formas de combate e especialmente para os fãs de X-Men, essa é uma expansão obrigatória.

https://www.sorteiefb.com.br/tab/promocao/371653

E para celebrar essa nova fase do Battle Scenes, vamos sortear os dois decks do Múltiplas Identidades e um play-mat exclusivo alusivo ao jogo para os leitores do blog e da fanpage. Cliquem na imagem acima e saibam como ganhar!