Publicidade:

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Abrindo as caixas do Formula E e do Province

Ontem chegaram para mim dois joguinhos que foram adquiridos através de Kickstarter ano passado.

O primeiro foi uma campanha apertadíssima que teve seus sucesso praticamente no último dia, e ainda bem que saiu pois o Formula E é uma criação de dois grandes designers nacionais, o Sergio Halaban e o André Zatz junto com outro grande cara, o Bruno Faidutti (do Citadels).

Todos os componentes do Formula E.

Ele demorou para chegar, mas o resultado foi bastante satisfatório. Os componentes estão de primeira linha, com as peças de maneira cheia de detalhes (os ratinhos ficaram acima da expectativa), um tabuleiro com dois circuitos e cartas com ilustrações lindas e caixinha para guardá-las (com espaço para os sleeves).

Ontem mesmo lí as regras dele e me pareceu ser um jogo de corrida bem divertido com muita abertura para pernada nos adversários, gostei bastante das vacas empacadas e dos ratinhos assustadores.

As pecinhas de madeira ficaram muito bem cortadas.

Outro financiamento, esse mais recente, foi do Province. Esse um micro-game que custou 5 dólares e tem poucos componentes, mas devido ao enorme sucesso, todos foram feitos com uma qualidade super bacana.

Os tokens são bem espessos e vieram muito bem cortados, o manual está claro e teve uma solução ótima para otimizar a impressão e ainda vieram dois adesivos de brinde, que serviram para colar na caixinha que eu arrumei para o jogo.

Já o Province tem poucos componentes, mas também de qualidade.

Em breve resenhas dos dois jogos mais detalhadas com o game-play e as minhas impressões sobre eles.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Dissecando : Tático - Futebol de Tabuleiro


Recebi esses dias o jogo Tático - Futebol de Tabuleiro e vou falar um pouco sobre o projeto, os componentes e o jogo.

O bacana do projeto vai além do jogo em sí. A versão que me foi enviada os jogadores são todos feitos com tampinhas de garrafas PET utilizando uma cooperativa como base de operações.

O material que veio para analizarmos. Tudo bem legal.

Todo feito de forma artesanal o jogo ficou bem bacana, e foi uma forma bem interessante de ter uma versão mais acessível em matéria de preço.

O tabuleiro é feito em lona impressa e também é bem legal, mesclando um campo de futebol com um tabuleiro de xadrez/damas o jogo ainda vem com duas bolinhas e um manual impresso.

Partida no comecinho, ainda com os jogadores sem se moverem muito.

Agora um pouco sobre o Tático - Futebol de Tabuleiro, ele tem regras até tranquilas de entender : no seu turno cada jogador pode realizar 3 ações (movimente, chute e/ou desarme) e com isso tentar fazer gols no adversário.

Na prática achei o jogo interessante, mas ele fica muito truncado (como algumas partidas de futebol), com muito desarme, mas sem conseguir evoluir muito as jogadas.

A produção artesanal é um dos diferenciais do projeto.

Minha partida com meu filho, tínhamos programado para 2 gols, mas acabou demorando mais do que o esperado e fechamos com 1 gol só.

Pretendo jogar outras vezes para ver se foi só por ser a primeira partida, ou se é alguma coisa recorrente, mas o Tático - Futebol de Tabuleiro é um jogo que merece uma atenção.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Butim : Um papo franco com o Luiz da Papaya

Esse domingo, enquato estava de bobeira em casa o Luiz Grimuza, da Papaya Editora me perguntou se eu teria um tempinho para ver umas coisas sobre o Butim, acabou que num papo de mais de meia-hora via Skype ele falou das pedras no caminho e no resultado que os consumidores vão receber do Butim e dos próximos jogos da Editora.

A caixa está grande e forte, padrão das importadas.

A primeira coisa que o Luiz deixou bem clara foi : a qualidade do produto final que os financiadores e os compradores do Butim receberão é similar (senão igual) a um produto importado.

A caixa está com um padrão excelente, o player-mat tanto de camurça grossa quanto o lenço estão também com impressão muito boa, com muitos detalhes, a arte de cada carta foi trabalhada individualmente (tem até carta especial para o amigo Thiago Manzo), as peças de madeira e o baú que está fora de série. Tudo foi exaustivamente analisado para o resultado final que você pode ver nas fotos.

O player-mat de camurça está com uma impressão incrível.

Mas o grande problema, que foi o que realmente atrasou todo o projeto, foram os decks. A ideia original era que as cartas tivessem um sangramento na imagem (sem borda), mas depois de diversas idas e vindas percebeu-se que seria impraticável trabalhar dessa forma, pois a laminação sai toda com o uso.

A solução encontrada foi trabalhar o redesign de TODAS as cartas, o que está tomando um tempo absurdo, uma vez que está sendo preciso readaptá-las para uma carta que hoje terá uma borda branca, mas que não vai descascar.

 As cartas deveriam ser assim, mas a laminação solta.

O Luiz está tentando ser o mais claro possível com os apoiadores, e segundo o próprio, está tendo um retorno positivo da comunidade, uma vez que apesar de todos os atrasos, apenas uma parcela bem pequena tem sido mais impaciente com os prazos.

Mas a melhor notícia, é que a espera está terminando, segundo o Luiz, ele acredita que daqui a um mês ele esteja recebendo os decks todos para começarem a encaixotar tudo, selar e começar o envio para os apoiadores e logo em seguida abrir a venda para quem não conseguiu pegar o jogo pelo Catarse.

Por isso a solução foi colocar borda branca em tudo.

Particularmente achei o papo muito bacana, ele fez questão de me mostrar todos os componentes, fez comparativos das cartas com outros produtos que já saíram aqui no Brasil, e o que eu posso adiantar é que nós não vamos nos arrepender desse voto de confiança dado a Papaya.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Resenhas : Agentes do S.A.P.O. e Muffin Games

Como prometido vou falar um pouquinho dos dois card-games novos da Ace Studios que estarão sendo apresentados durante a Anime Friends e serão lançados nos próximos meses.

Um joguinho de vaza com set-collection de regras simples, ele comporta de 3 a 5 jogadores e leva uns 20 minutos no máximo por partida.

O lance do jogo é tentar pegar as facções sem que você comece a perder pontos por conta disso, e o grande barato é saber o momento de quando usar um dos "passo" que você tem durante o jogo.

Já nesse joguinho, que comporta até 4 jogadores, cara um tem por objetivo recolher 7 muffins, para isso conta com personagens que tem poderes especiais e uma numeração no dado que serve para tentar a sorte na hora de recolher os muffins.

O barato do Muffin Games são exatamente os poderes "pokémon" das cartinhas e os combos que podemos fazer com eles.

Ambos são fillers divertidos, estão sendo trabalhados de forma caprichada para tiragens pequenas e em breve as pré-vendas de ambos estarão abertas.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Tabuleiro Virtual : Jenga

Ontem passeando pelo Apps Gone Free no meu iPad, me deparei com a oferta do Jenga para iOS e prontamente (como fã do joguinho) fiz o download.

Por incrível que pareça, a adaptação do jogo para o cenário virtual ficou bacaninha, com a torre se mexendo bastante quando tiramos uma peça muito rápida e os jogadores ficando cheios de cuidados para não tirarem uma ou outra peça que colapse tudo.

Os gráficos são bem bonitos e a jogabilidade boa. Apesar de ser da opinião que jogos de destreza não tem muito a ver com plataformas digitais, o aplicativo do Jenga acabou sendo uma grata surpresa e como ainda está grátis vale para os amigos que ainda não tem o jogo "de verdade".

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Uma noite de "Stronda"

Estamos vivendo um "boom" no mercado nacional, muitas novas editoras surgindo e muitos designers lançando coisas novas interessantes, mas como funciona esse processo no backstage? Pensando nessa pergunta, ontem eu conheci o grupo de criação da Stronda.

Capitaneados pelo Fel Barros (WarZoo) e o Romulo Marques (Gekido), o grupo tem ainda Warny Marçano (Agentes do S.A.P.O.), Rodrigo Rego (Palmares) e o Humberto Cotta (O Ovo do Camaleão) como as mentes criadoras.

 Gekido, primeiro projeto Stronda prontinho.

Segundo o Fel, serão até 2015, seis lançamentos com tiragens médias/pequenas que depois irão formar um box à ser levado em Nuremberg (a principal feira da Europa a reunir designers e editoras de jogos de tabuleiro) para tentar contratos no mercado lá de fora, já tendo alguma bagagem e feedback nacional.

O primeiro lançamento, o Gekido, já sai agora na Anime Friends, e foi falado algumas vezes aqui no blog, na esteira até o final do ano devemos ter o Agentes do S.A.P.O. e o Muffin Games, que eu joguei ontem e falarei um pouco semana que vem.

Agentes do S.A.P.O. na versão de playteste ainda sem a arte finalizada.

A ideia do grupo é muito bacana: a turma se encontra toda semana para discutir os projetos, testar jogos e planejar os lançamentos. Todo o processo ganha mais velocidade e jogos, como o já citado Gekido, vão da idéia ao produto final em questão de meses (isso com baterias de mais de 100 playtestes fora do grupo).

Outra vantagem do Stronda, é que a estando em contato com uma galera grande de amigos, os jogos estão sendo testados nos eventos e (seguindo o modelo de sucesso do WarZoo) sendo enviados para amigos fora do Rio de Janeiro, que devolvem suas observações para a finalização dos projetos.

Teste de impressão com as cartinhas do Muffin Games e os dados do jogo.

Inicialmente os jogos sairão todos pela Ace Studios, mas isso não impede da Stronda vir a ter um selo próprio mais tarde ou até ter projetos lançados por outras editoras e acredito que esse modelo é um bom exemplo para a galera empreendedora comece a fazer o mercado crescer cada vez mais.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Casa cheia.... Graças a Copa...

Primeira turma jogando o Neue Heimat.

 Quinta-feira passada rolou mais uma edição do CACÁbouço e por conta do feriado no dia seguinte (por causa do jogo no Maraca e o jogo do Brasil), tivemos casa cheia e joga até 2h da manhã.

O povo chegou na hora e enquanto eu ainda não tava jogando puxaram o Neue Heimat. O Fel jura que é bom, quem jogou garante que é ruim, então até eu conseguir jogar não sei o que dizer, vale salientar que o Warny conseguiu uma pontuação negativa recorde.

As mesas divididas com Terra Mystica e Tribune.

Depois disso rolou uma mesa saudosista de Attika com a galera das antigas e outra do Agentes do SAPO, enquanto as meninas não chegavam.

Fechando a noite dividimos uma mesa de Tribune (que terminou meia-noite e pouco) e a outra de Terra Mystica que rolou madrugada à dentro.

Como de costume, uma boa jogatina com os amigos, muita risada (alguns estresses passageiros), mas bons jogos rolando.

E no Terra rolando uma "comunidade" agitada aqui embaixo.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Material Monst3r Factory

Esses dias recebi umas peças de divulgação do pessoal da Monst3r Factory e vou falar um pouco da qualidade dos materiais e dos cortes.

O kit de divulgação é composto por 2 card-trays, 1 dice-tray e 1 torre de dados. As "folhas" de cada peça vem com o corte perfeito, deixando só uma casquinha para ser solta na hora da montagem.

Todas as folhas do material da Monst3r Factory vem assim.

Tudo é feito em mdf de boa espessura, e eu particularmente, acho o efeito que a laser dá ao material lindo demais (as bordas queimadas).

O manual é claro, bem explicado e bem ilustrado ficando tranquilo na hora da montagem das peças saber o encaixe de cada parte.

Já estou usando a dice-tray como arena para o Gekido.

Eles além desse material enviado, estão com uma linha de inserts para caixas grandes como os card-games da Fantasy Flight ou as caixas retangulares estilo Lookout.

E para a galera que leu até aqui e ficou com vontade de conhecer um pouco mais sobre a Monst3r Factory, o blog vai estar sorteando uma torre da dados dos caras, clique na imagem abaixo e saiba mais.

http://sorteiefb.com.br/tab/promocao/360515