Publicidade:

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Criando novos jogos

Ontem rolou um encontro super produtivo com os amigos Fel (do WarZoo), Rômulo e Humberto para adiantarmos um dice-game bem bacana que por enquanto tem o nome de Ikari Dragons.

O jogo tá ainda nos primeiros dias de processo de criação, mas já deixo avisado para vocês que tem potencial, mas o que eu quero falar aqui é sobre como uma idéia ganha vida.

A área do jogo Ikari Dragons, sem "luxo", protótipo é assim.

Nossa reuniãozinha durou pouco menos de uma hora, e nesse tempo conseguimos jogar duas partidas do jogo, anotar sugestões, analisar possibilidades e sair de lá com mais uma etapa completa.

O que eu quero mostrar é que se você tem uma ideia, acha que pode dar "caldo", coloca ela no papel, rabisca, chama os amigos, sem medo do que eles vão achar e joga, quanto mais partidas você conseguir realizar, melhor lapidado o jogo vai ficar. 

Fel, Rômulo e Humberto, galera cheia de criatividade.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Tabuleiro Virtual : Fluxx

Ainda aproveitando as promoções de jogos da Playdek, baixei o Fluxx ontem. Sempre tive curiosidade sobre esse jogo e o app dá bem pra ter uma noção de como ele é.

Fluxx é um card-game muito zoneado onde as regras vão mudando radicalmente durante a partida e seu objetivo é juntar dois elementos do "gol" que estiver no centro da mesa (coisa que vai mudando bastante durante a partida).

Joguei o tutorial e uma partida com 3 jogadores e cheguei a conclusão que o jogo poderia ser bem mais curto, mas com a parada de ir mudando as regras o tempo todo, e dos "gols" também irem mudando o jogo tende a se arrastar (principalmente com mais jogadores).

Pelos 0,99 cents que ele está até o dia 28/04 vale para matar a curiosidade, mas com certeza não faz meu tipo de jogo e a menos que seja uma mesa muito boa e descontraída eu dificilmente jogarei ele ao vivo.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Tabuleiro Virtual : Nightfall

Aproveitando a semana de promoções do pessoal da Playdek eu baixei para o iPad o Nightfall.

Esse é um card-game com vampiros que usa mecânica de deck-building e tem um diferencial (pelo menos ainda não tinha visto) muito bacana, que é o efeito "cadeia" na hora de colocar as cartas em jogo.

Nunca tinha jogado a versão analógica do jogo e achei o tutorial bem explicado. Os gráficos são um pouco confusos num primeiro momento, mas depois que você acostuma o jogo flui legal e as partidas são rapidinhas.

Gostei muito e recomendo aos amigos baixarem o Nightfall (e outros jogos da Playdek) até o próximo dia 28 pois estão com boas promoções (esse tá saindo a 0,99 obamas).

sexta-feira, 11 de abril de 2014

WarZoo está no ar!!!


Hoje entrou no ar o financiamento do jogo WarZoo. Criado pelo grande amigo Fel Barros com arte caprichadíssima do Daniel Araújo e design-gráfico de outro grande amigo, o Marcelo Groo.

O autor já foi entrevistado por aqui, onde explicou o jogo e tudo mais, mas vale dizer que pra gente que acompanhou praticamente todo o desenvolvimento que esse é um projeto muito bacana que testado à exaustão em diversas cidades pelo país com uma resposta sempre muito positiva.


Enfim, sou suspeito para falar pelo envolvimento pessoal, mas garanto que esse vai ser um jogo que vai agradar desde a mulecada (com o Modo Infantil) até a galera "hard-core".

terça-feira, 8 de abril de 2014

Resenha : Caverna


Lançado ano passado como o substituto do Agricola, o Caverna chegou com grande pompa e hoje já figura no TOP 15 do BoardGameGeek e ainda nem teve uma tiragem decente fora da Europa.

Mas o jogo é isso tudo? Sim, ele é e vamos falar um pouco sobre as regras e o por que de tanta badalação.

Para início de conversa ele é um jogo imponente, cabe de 1 a 7 jogadores e vem com 4kg de pecinhas de madeira e cartolina para justificar o seu alto preço no mercado.

A área do jogo onde ficam os prédios disponíveis aos jogadores.

As regras do Caverna são muito similares ao Agricola, você tem as ações que são abertas a cada rodada, os jogadores alocam seus anões e realizam a ação indicada e de tempos em tempos temos a famigerada colheita.

A primeira grande diferença pra mim foi que apesar de termos mais colheitas durante o jogo está muito mais tranquilo alimentar sua família, o que deixa o jogo muito menos cruel.

Como no Agricola, novas ações vão sendo abertas durante a partida.

Outra diferença estão nas construções, o Caverna disponibiliza uma série de prédios que você pode construir durante o jogo e dão algumas bonificações e mais lugar para seus futuros rebentos.

Uma coisa que eu gostei bastante foi as expedições que os anões podem fazer durante a partida e que são uma forma interessante de conseguirmos recursos e até prédios mais baratos.

A área de cada jogador divida entre a nossa caverna e nossa fazenda.

No geral a experiência com o Caverna é mais fluida e mais "gostosa" do que o Agricola, mas para mim pelo menos um não substitui o outro, melhor ainda, pode-se ter os dois tranquilamente na sua coleção que você estará bem servido.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

CACÁverna no CACÁbouço

Ontem rolaram duas estreias no CACÁbouço de Quinta, a primeira (e mais esperada) foi o do tão comentado Caverna, jogo sensação de Essen'13 e que finalmente viu mesa.

Vou fazer uma resenha completinha dele semana que vem, mas basicamente somos anões desenvolvendo nossa fazendinha e nossas cavernas.

Meu tabuleiro do Caverna no final da partida.

O jogo flui bem, as regras tem menos detalhes que os outros jogos do Uwe, e quando acaba dá vontade de jogar de novo. Ainda não desbancou o Agricola e o Ora et Labora pra mim, mas tem potencial.

Já a segunda estreia foi com o print-and-play do jogo Tiny Epic Kingdoms, que foi financiado pelo KickStarter e os financiadores tiveram acesso aos arquivos para irem se divertindo enquanto o jogo não chega (mais para o final do ano).

A mesa, aquela "bagunça" típica dos jogos do Uwe Rosenberg.

Esse tem regras bem simples, joga-se muito rapidinho e na nossa partida com três jogadores ficou a sensação de um jogo bobinho demais para o que se propõe.

O Fel garante que a mesa com mais jogadores faz com que o jogo melhore, então para ele antes de emitir uma opinião final vou tentar uma nova partida.

Tiny Epic Kingdoms, ainda precisa de uma segunda opinião.

E foi isso, um joguinho à mais no meu desafio 10 jogos 10x e outro que ainda precisa de uma segunda opinião.

Lembrando aos amigos que hoje termina a Promoção Battle Scenes, as 22h vou sortear os dois ganhadores que levarão o kit 4 boosters Poderes Ocultos + Playmat exclusivo. Participem, ainda dá tempo!

Ritmo lento para conseguir zerar o desafio.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

ABRIN 2014, um marco... será?

Essa semana está rolando em São Paulo mais uma edição da ABRIN, a maior feira de brinquedos da América Latina (e terceira maior do mundo). Seria mais uma feira se não fosse um detalhe no estande da Grow... o Puerto Rico.

Eu comecei a acompanhar os jogos modernos a exatos 10 anos (quando conheci o forum BG-BR e os amigos da Joga do Edu), e desde 2004 que eu ouço : "Trazer isso/aquilo é fácil, quero ver um Puerto Rico". Bem, taí e agora?

Estande da Grow deixando esse gamer de boca aberta. Foto Ludus Luderia.

Esse movimento da Grow, segue um reflexo de um mercado crescente, mas será que isso é fogo de palha ou finalmente deixaremos de ser nicho e teremos prateleiras nas lojas com jogos diferentes e opções interessantes para todos os gostos?

Pergunto isso por que o Puerto Rico é um excelente jogo, mas eu duvido que o consumidor que entra na Livraria Cultura e compra um Guerra dos Tronos ou um Zombicide no impulso fará o mesmo com um jogo com poucos atrativos e mais desconhecido.

O estande da Devir também traz novidades.

Hoje, dando uma olhada na lista do pessoal da RedomaNet, vemos que 2014 será o ano dos lançamentos, tanto os clássicos, quanto jogos sendo lançados simultaneamente com o mercado lá fora. Mas ainda temos apenas três empresas de expressão (a Grow, a Galápagos e a Devir), as outras ou estão começando, ou são apenas empresas de internet.

De qualquer maneira já é uma vitória saber que mais para o final do ano, ao entrar na Livraria Cultura vou ver na prateleira um Ticket to Ride e um Puerto Rico lado a lado.

A Livraria Cultura já está bonita, mas pode melhorar!