Publicidade:

terça-feira, 22 de julho de 2014

Butim : Um papo franco com o Luiz da Papaya

Esse domingo, enquato estava de bobeira em casa o Luiz Grimuza, da Papaya Editora me perguntou se eu teria um tempinho para ver umas coisas sobre o Butim, acabou que num papo de mais de meia-hora via Skype ele falou das pedras no caminho e no resultado que os consumidores vão receber do Butim e dos próximos jogos da Editora.

A caixa está grande e forte, padrão das importadas.

A primeira coisa que o Luiz deixou bem clara foi : a qualidade do produto final que os financiadores e os compradores do Butim receberão é similar (senão igual) a um produto importado.

A caixa está com um padrão excelente, o player-mat tanto de camurça grossa quanto o lenço estão também com impressão muito boa, com muitos detalhes, a arte de cada carta foi trabalhada individualmente (tem até carta especial para o amigo Thiago Manzo), as peças de madeira e o baú que está fora de série. Tudo foi exaustivamente analisado para o resultado final que você pode ver nas fotos.

O player-mat de camurça está com uma impressão incrível.

Mas o grande problema, que foi o que realmente atrasou todo o projeto, foram os decks. A ideia original era que as cartas tivessem um sangramento na imagem (sem borda), mas depois de diversas idas e vindas percebeu-se que seria impraticável trabalhar dessa forma, pois a laminação sai toda com o uso.

A solução encontrada foi trabalhar o redesign de TODAS as cartas, o que está tomando um tempo absurdo, uma vez que está sendo preciso readaptá-las para uma carta que hoje terá uma borda branca, mas que não vai descascar.

 As cartas deveriam ser assim, mas a laminação solta.

O Luiz está tentando ser o mais claro possível com os apoiadores, e segundo o próprio, está tendo um retorno positivo da comunidade, uma vez que apesar de todos os atrasos, apenas uma parcela bem pequena tem sido mais impaciente com os prazos.

Mas a melhor notícia, é que a espera está terminando, segundo o Luiz, ele acredita que daqui a um mês ele esteja recebendo os decks todos para começarem a encaixotar tudo, selar e começar o envio para os apoiadores e logo em seguida abrir a venda para quem não conseguiu pegar o jogo pelo Catarse.

Por isso a solução foi colocar borda branca em tudo.

Particularmente achei o papo muito bacana, ele fez questão de me mostrar todos os componentes, fez comparativos das cartas com outros produtos que já saíram aqui no Brasil, e o que eu posso adiantar é que nós não vamos nos arrepender desse voto de confiança dado a Papaya.

Nenhum comentário: