Publicidade:

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Abrindo a caixa do Last Night on Earth: Timber Peak

Todo fã de zumbis gosta de ter filmes, quadrinhos, livros e outras traquitanas sobre o tema, se você também for adepto aos jogos de tabuleiro não pode deixar de ter na sua coleção uma cópia do Last Night on Earth. Eu corrigi essa falha e comprei o mais novo jogo base da séria, o Timber Peak.

Tudo que vem na caixa do Timer Peak (já sem o insert).

Como todos os jogos da Flying Frog, a qualidade dos componentes é de encher os olhos. Todas as imagens de cartas, personagens e tals são realizadas com produções fotográficas exclusivas e o resultado é um jogo caprichado e que te deixa dentro do tema.

Além disso os componentes são todos acima da média. Cartas com alta espessura e laminação, tiles rígidos e com corte perfeito, miniaturas bem acabadas e detalhadas, tudo para que você tenha certeza que investiu seu rico dinheirinho da melhor forma possível.

Zumbis verdes e marrons que vem na caixa.

Já o jogo, ele tem algumas diferenças sobre o Last Night on Earth - The Zombie Game. As mais notáveis são os pontos de experiência para os heróis e zumbis, os tiles de fogo que vão se alastrando pelo tabuleiro e ítens que vem com marcadores para serem usados diversas vezes.

É isso, se você é fã do tema tem que ter uma cópia do Last Night on Earth na sua coleção, pois ele é com certeza um dos melhores jogos de zumbi do mercado.

Os personagens (3 novos e 3 sobreviventes do LNoE antigo).

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Crianças atentadas e ratinhos guerreiros

Ontem na Gruta do Groo foi dia de estreia, primeiro rolou uma partida do Evil Baby Orphanage, que é um card-game onde os jogadores são babás tomando conta de bebês.

Até aí tudo tranquilo, não fossem os bebês o Idi Amim, Fidel Castro, Hitler, Jack the Ripper entre outros. O objetivo é reunir 10 pontos em bebês antes dos outros orfanatos.

Você reclama dos seus filhos? Você ainda não viu esses bebês.

 Joguinho divertido, mas parece ser daquelas piadas que vai perdendo a graça conforme as partidas vão acontecendo.

Depois disso o "prato principal", começamos a contar a história do Mice and Mystics. Porque contar a história? Por que o jogo é basicamente um RPG de tabuleiro, com direito a evolução dos personagens, histórias acontecendo durante o jogo e cenas dos próximos capítulos.


Ontem jogamos o primeiro cenário onde os personagens são transformados em ratos para tentar fugir do castelo e assim começar a encontrar uma solução para restabelecer a saúde do rei maneiro e para que ele saia das garras da rainha má e poderosa.

A mecânica do Mice and Mystics é bem simples, nas sua rodada você move e realiza uma das ações possíveis e passa para outro jogador. A cada nova sala explorada abrimos uma carta de encontros, que conforme vão se passando as páginas (que é a forma de contagem de rodadas) vão ficando mais sinitros.

O mapa do primeiro cenário.

Se chegarmos ao final da história (ou rodada final) sem cumprirmos o objetivo do cenário todos perdemos. Não foi o caso de ontem, mesmo enfrentando o Gato Caolho, várias baratas, alguns ratos malvados e o Corvo Velho quase todos conseguimos fugir do castelo e encontrar a comunidade de ratos que nos ajudarão daqui para frente.

O jogo é bom, tem uma pegada boa e a turma que jogou ontem ficou empolgada para jogar os outros cenários. A galera que gosta de RPG e jogos de dungeon crawler com certeza tem que colocar o Mice and Mystics na sua lista de jogos.

A turma de ratinhos que vai tentar livrar o castelo do mal.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Resenha : Friday


Existem no mercado muitos jogos com variantes para um jogador, mas ainda é difícil encontrá-los exclusivamente para partidas solo. Pois nesse fim-de-semana tive a oportunidade de jogar o Friday, jogo desenvolvido pelo Friedmann Friese para apenas um jogador.

Nele somos o famoso Sexta-feira tentando ajudar ao Robson Crusoé em sua estada na ilha e na sua preparação para enfrentar os piratas.

 O jogo é um deck-building de regras simples e jogabilidade fácil. No turno você abre duas cartas de encontro, escolhe uma para enfrentar, abre cartas de porrada, se vencer a cartas de encontro é anexada ao seu deck caso contrário perde uns pontos de vida e descarta umas cartas do seu deck.

A mesa do Friday e eu tomando porrada da ilha.

Vai fazendo isso durante 3 níveis de dificuldade para no final enfrentar duas cartas de pirata, vencendo as duas você ganha o jogo. Simples assim? Não, como eu disse as regras são tranquilas, mas ganhar é bem difícil (joguei duas e não cheguei nem ao nível 3).

O grande problema do Friday pra mim é preparar o setup, o que te toma algum tempinho, mas que é o suficiente para você se dar conta de que poderia estar fazendo outra coisa melhor. Mas com certeza jogaria fácil se ele fosse adaptado para tablets e afins.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

RISK Legacy : 11ª partida

Depois de mais de um mês de intervalo, ontem rolou a 11ª partida da maratona do RISK Legacy. Fui o primeiro a chegar na casa do Léo e ele me apresentou o Mr. Jack Pocket.

Ele é uma adaptação do excelente Mr. Jack só que numa caixinha bem pequena, prática de carregar pra lá e pra cá. Joguinho rápido e o Léo ganhou (de Sherlock) na 5ª rodada (são 8 pro Jack ganhar).

A versão de bolso do Mr. Jack.

Depois o povo chegou e antes de começarmos a jogar. A primeira coisa que fizemos foi deixar a Vivian abrir o envelope que não devia ser aberto nunca. Ela ficou felizona... nós não.

SPOILER (selecione o texto para aparecer) : O que acontece nesse envelope é que cada player ganha uma maldição que é embaralhada junto ao deck de eventos e assim que ela é sorteada faz com que você tenha um turno dos mais ferrados possíveis, só podendo recrutar baseado na quantidade de territórios sem poder usar cartas nem nada.

Eles bem que avisaram!

Depois cada um escolheu sua raça e o jogo começou com o Léo vizinho aos meus mutantes. Como resultado antes de chegar na minha rodada eu já tinha sido eliminado do tabuleiro.

Mas a vida dá voltas e durante a partida o Léo conseguiu ser eliminado mais vezes que eu. Já os meus mutantes tiveram uma recuperação notável e se não fosse a Taly eu teria ganho a partida.

Último compartimento aberto, e os aliens apareceram.

Mas tudo mudou quando a Vivian conseguiu fazer a sua super troca a abrir o último compartimento da caixa. E o que saiu de lá foi suficiente para mudar os rumos da partida.

SPOILER (selecione o texto para aparecer) : Apareceu uma nova raça, os aliens entraram no jogo e como se isso não bastasse, eles entram com um novo território que virou uma ponte entre a Oceania e a América do Sul.

Pra fechar a noite o Alea Iacta Est.

Com mais de 40 novos soldados dispostos a dominar o mundo e com a facilidade de chegar aonde ela queria, foi só questão de rolar dados até a Vivian conquistar sua 3ª vitória.

Para terminar a jogatina rolou uma partida do Alea Iacta Est. Um joguinho de alocação de dados divertido e rapidinho, esse eu ganhei apertado e depois tive que sair correndo para conseguir pegar o metrô.

Depois das onze partidas o placar anda assim :
Cacá e Vivian (3) / Taly e Léo (2) / Rony (1)

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Resenha : Rallyman


No feriado joguei o Rallyman com os amigos e o jogo entrou para lista dos joguinhos de corrida mais legais que eu já joguei, e ainda tem mecânicas bem diferentes das que a gente está acostumado.

Lançado em 2009 no Rallyman o nosso objetivo não é terminar na frente, e sim ter as melhores tomadas de tempo em 3 baterias de corrida.

Os micro-carrinhos e as pistas que podem ser montadas de várias formas.

A mecânica do jogo é a seguinte, existem 5 dados de marcha e 2 de aceleração, cada dado vai andar uma casa apenas, então a parada é calcular certinho a forma com que você quer mover na sua rodada.

Feito isso você pode rolar os dados de duas formas, ou um de cada vez podendo gastar bonus para impedir a quebra dos motores (se sairem nos dados pelo menos 3 você roda na pista) ou então jogar todos de uma vez só, nesse caso para cada dado rolado você ganha uma ficha de 1 segundo como bonus.

Os dados que servem para a movimentação dos carros.

No final da sua rodada você recebe uma carta com a marcha atual (quanto maior a marcha, menos segundos marcados), na próxima rodada você pode começar nessa marcha, cair ou subir uma.

E o jogo se desenvolve dessa forma até o final das três baterias, quem fizer em menor tempo ganha. O Rallyman é um jogo meio obscuro mas que vale a atenção, pois é muito bacana e bem estratégico nas decisões.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Tabuleiro Virtual : Ticket to Ride Europe

Quem me conhece sabe que eu não sou fã da série Ticket to Ride, acho um jogo no máximo legalzinho, mas com a Apple Store liberando semana passada o Ticket to Ride Europe grátis acabei baixando o aplicativo.

Para minha surpresa o jogo no iPad é muito mais divertido e viciante. Não sei se pelo fato de ficarem marcados o ponto de partida e o destino das suas cartas ou se pela praticidade com que o jogo se desenvolve eu curti muito mais jogá-lo de forma digital do que "ao vivo".

Falando um pouco mais sobre o aplicativo, ele é feito para o iPhone, mas mesmo com o zoom do iPad o jogo funciona bem, o tutorial em vídeo é muito bom e explica direitinho as diferenças do Europe para o Ticket to Ride original (basicamente os túneis, as estações e as balsas).

Enfim, ele agora tá saindo pelo preço de 1,99 mas quem conseguiu aproveitar a oferta e pegá-lo de graça com certeza arrumou um aplicativo bem bacaninha pro seu iCoiso.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Feriadão de jogatina

Com um feriadão daqueles rolando por aqui, nada melhor que uns joguinhos para animar. Em casa com a família rolaram partidas de Rummikub e Snow Tails e no sábado uma joga com o povo mais "heavy".

O Exile Sun, é bem bonito, mas não conveceu.

O Flávio fez uma tarde de jogos e sushi. Na mesa começamos com Exile Sun, esse é um jogo de conquista de objetivos e porrada espacial, tem um sistema de combate bem diferente, mas apesar disso ele não empolgou não.

Jogamos eu, Zombie, Flávio e Groo e como o Zombie tinha que sair da mesa optamos por não terminar o jogo (apesar de já estar quase no final).

Os carrinhos do Rallyman (com o Flávio capotado).

Depois o Fel chegou e jogamos o divertido Rallyman. Esse é um jogo que simula um rally por terrenos cheios de curvas, derrapadas e onde os jogadores estrategicamente tentam fazer as baterias nos menores tempos possíveis.

Muito bacana ele tem mecânicas bem diferentes para movimentação e jogabilidade, gostei bastante, depois escrevo mais sobre ele.

Além dos joguinhos, muito sushi preparados pelo Flávio.

Depois dele, só farra, uma partida de Vegas bem divertida e uma de Jungle Speed : Rabbids, ainda deu tempo de conhecer o jogo de futebol Weykick que usa imãs e é todo feito de madeira.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Malleus : Financiando o hobby

O pessoal do Coisinha Verde está colocando mais um jogo no ar para financiamento coletivo, dessa vez trata-se do Malleus.

O jogo é basicamente um tile-placement cooperativo de exploração de masmorras, vem com regras básicas e avançadas e tem a arte bem bacana (pelo que podemos ver no vídeo).



O gol dos caras é chegar aos 10 mil reais e eles tem 30 dias para atingir essa meta, então agora é com a galera que curte RPG e jogos de tabuleiro ajudar nessa empreitada.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Torre das Peças

 Mesa de Terra Mystica rolando com a galera "heavy".

Depois de algum tempo sem aparecer aos eventos, esse sábado passei pelo Spoletto para encontrar os amigos na Torre das Peças

A chuvinha chata que tava caindo deu uma desanimada na galera, mas tivemos mais de 30 pessoas passando pelo dia de jogatina, e nas mesas rolando desde novidades como Zombicide e Terra Mystica desde jogoso mais conhecidos como Summoner Wars e Container.

El Grande, um dos clássicos que nunca perde a majestade.

Eu como não fico só fazendo social, consegui jogar umas coisinhas. Uma partida de Samurai com os amigos Hélio e Edu (ganhei com duas maiorias) e uma boa partida de El Grande disputada até o final pelo Hélio e o João (vencida pelo primeiro), o Arthur ficou em terceiro e eu e o Edu empatados em último.

E para quem não sabe, estou com um leilão de jogos lá no Board Game Geek, os jogos estão com preços bem legais e os lances são válidos até o dia 18. Aproveitem!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Resenha : Tsuro


 Um jogo simples, rápido, divertido e inteligente, com essas poucas palavras você pode definir Tsuro, um jogo lançado em 2004 que comporta até 8 jogadores e eu descobri a pouco tempo na Gruta do Groo.

O jogo é extremamente simples de explicar. Você tem tiles com caminhos, na sua rodada você coloca um tile, segue com seu sabonete/dragão até o final do caminho, se você não sair do tabuleiro ou não bater em outro sabonete/dragão compra um outro tile (você tem 3 na mão) e vida que segue.

Todo mundo tentando ficar no tabuleiro, mas só pode haver um (heheh).

Ganha a partida o último sabonete/dragão a ficar no tabuleiro, é isso. Mas o grande barato do jogo são os caminhos que se entrelaçam durante a partida e as pernadas que eventualmente você vai dar nos adversários.

Com 6 jogadores a partida durou uns 20 minutos, o que torna Tsuro um daqueles excelentes jogos para se brincar enquanto esperamos alguém, ou estamos decidindo qual vai ser o próximo jogo "à vera" para ser jogado.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Zumbis na Gruta do Groo

Ontem rolou mais uma Gruta do Groo e mais uma vez os zumbis comandaram a noite. Quando eu cheguei Edu, LePe e Groo estavam terminando uma partidade de 7 Wonders com o quorum completo (somados eu, Roberto e Leandro) puxamos o Zombies!!!

Zombies!!! na mesa. Tiro pra todo lado.

Esse é o "Jogo B" dos jogos de zumbi, e com as regras da caixa fica um tanto arrastado embora divertido, mas com umas "house-rules" do povo ele ficou mais dinâmico e com uma duração bastante aceitável para o que o jogo propõe.... Matança desordanada de zumbis.

Basicamente o jogo é colocar um tile, colocar zumbi, andar e dar tiro pra tudo quanto é lado, quem conseguir matar 15 zumbis primeiro ou chegar no helicóptero ganha.

As miniaturas do Zombicide pintadas pelo LePe.

Nossa partida ficou primeiro comigo e o Groo chegando a 11 zumbis mortos, foi o suficiente para sermos cubreados pelo resto da mesa, com isso o LePe chegou aos 15 zumbis mortos e ganhou.

Depois disso um Zombicide. Como já falei ele é atualmente o melhor jogo de zumbis do mercado, mas o cenário que a gente escolheu ou é muito fácil ou a gente deu muita sorte pois a partida em menos de uma hora já estava resolvida.

Todo mundo concentrado para pensar na melhor forma de fechar o cenário.

Nesse cenário tínhamos que neutralizar as duas áreas de surgimento dos zumbis antes que quatro deles saissem pelo tabuleiro. Só que conseguimos fazer coquitéis molotov relativamente rápido e mesmo com algum confronto foi tudo muito rápido e ganhamos.

Depois disso para fechar a noite de jogatina uma partida de Tsuro que o Groo ganhou e duas de Ziegen Kriegen que o LePe e o Edu ganharam.

Os simpáticos bodes do divertido Ziegen Kriegen.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

(Finalmente) Abrindo a caixa : Glory to Rome


 Em 2009 no Castelo das Peças joguei pela primeira vez o Glory to Rome, gostei pra caramba do jogo, é um card-game inteligente mas era muuuuito feio.

Em 2011 o pessoal da CGF puxou um financiamento coletivo para fazer uma versão mais bonita e com novas regras e expansões. O financiamento foi um sucesso.

Os player-mats e as cartas.

Pois bem, o grande problema foi a produção. Muito problema com a impressão das cartas na China, container parado, enfim, mais de um ano depois recebi finalmente minha Black Box.

O jogo ficou realmente lindo, as cartas com artes minimalistas, a caixa preta com a águia do Império Romano, tudo muito bacana. A expansão com novas cartas e o jogo bonus (o Plato 3000) também são interessantes e tudo com bastante qualidade.

 Zoom nas cartinhas com arte super caprichada.

No final valeu o investimento? Com certeza. Mas valeu a espera? Não, se eu tivesse idéia que esperaria mais de um ano pela minha cópia tinha ficado com a minha versão que eu fiz na ArtCows e que ficou bacana também.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Happy, happy, haloween...


Dia das bruxas rolando ontem e jogatina especial na Gruta do Groo com uma turma boa e na mesa só jogos aterrorizantes.

Enquanto a galera toda não chegava, o primeiro jogo foi o assustador Tsuro e seus sabonetes (ops, dragões) zumbi. Joguinho abstrato muito bacana onde você tem tiles que são colocados no tabuleiro formando caminhos, caso seu sabonete (ops, dragão) saia do tabuleiro você morre (bwahahaha) e o último a ficar vivo ganha. Nessa partida fui eu.

Sabonetes (ops, dragões) zumbis sem rumo no Tsuro.

Depois disso uma rolagem de dados no Zombie Dice com a expansão para ver qualé. Comecei dominando a partida por umas três rolagens (e um cérebro), mas o Lepe e o Groo resolveram jogar direito e acabei ficando em último (o Lepe levou esse).

Galera toda tinha chegado, antes de rolar alguma coisa mais séria uma partidinha de Cthulhu Dice. Esse eu achei um horror (pelo menos tava no contexto), você vai tentando fazer os outros jogadores perderem pontos de sanidade enquanto tenta manter os seus. Muito bobinho. Leandro ganhou uma e o Chris a outra.

Zombie Dice com a expansão. Braaaaaains.

Agora sim um joguinho mais esperto, o escolhido foi o Fearsome Floors. Começamos com várias regrinhas erradas mas fomos consertando durante a partida.

É sempre engraçado ver o Frank fazer a festa com as vítimas tentando se esconder. No final o Leandro conseguiu sair com dois dos seus carinhas e ganhou.

Frank tava com fome e pegou geral no Fearsome Floors.

Pausa pra pizza e na sequencia Mall of Horror. Nesse os jogadores formam grupos de sobreviventes que tentam se manter longe dos zumbis que estão invadindo o shopping.

Em meio a votações para chefe de segurança, para ver quem vai se aventurar atrás de itens ou na pior das hipóteses quem vai servir de lanche para os zumbis. Joguinho muito bacaninha que vai ter um relançamento agora com o nome de City of Horror.

Galera se escondendo como pôde no shopping invadido pelos zumbis.

Nessa partida o grupo do Leandro e o meu conseguiu ficar completo quase até o final, mas nas duas últimas rodadas acabei me escondendo melhor e ganhei.

Para fechar a noite de jogos de terror, Escalation!. Partidinhas rápidas, uma o Lucas ganhou, outra o Groo ganhou e fechamos assim esperando a próxima Gruta Especial.