Publicidade:

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Rapidinhas de terça

— Depois de nos presentear com trens (Steam) e carros (Automobile) a Mayfair acaba de anunciar pra maio desse ano Aeroplanes, novo jogo do mestre Martin Wallace.



— Esses dias achei um site muito bom para video-reviews, estão em inglês mas valem muito a pena. Chama-se 2D6.com e acho que vale a visita pra quem curte.

— A Fantasy Flight disponibilizou mais algumas imagens do REX, jogo baseado no Dune e que sai ainda no primeiro semestre desse ano.



— Semana passada depois de ver uma imagem no Facebook que diz tudo sobre o nosso hobby, fiz (aí em cima) uma versão "tupiniquim" pra ela , então sintam-se à vontade de divulgar essa iniciativa.

UPDATE ESPECIAL : os amigos do aBoard Games acabaram de colocar a vídeo-resenha do Kids of Carcassonne, dessa vez com a participação especial da Ângela. Vê aí.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Shamouzão no sabadão

Esse sábado ao invés de ir ao Castelo das Peças como de costume os tijucanos acabaram se encontrando no bom e velho Shamouzão para jogar.

Chegando por lá, quorum definido, uma mesa ficou no Puerto Rico e eu, Léo Rossi, Groo e Fel estreamos o Prêt-à-Porter do Léo.


A mesa cheia de informação do Prêt-à-Porter.

Esse é um jogo econômico com o tema baseado nas grandes grifes de moda, então temos de tudo, escolha de coleção, compra de tecidos e até mesmo a "fashion week".

Ele é bem cabeçudo e cheio de regrinhas e detalhes bem "gamer", um bom jogo, mas confesso que se o tema fosse diferente talvez me animasse a jogá-lo outras vezes.


Mesa do Puerto Rico : Léo, Márcio, Pete e Camilo.

Na nossa partida eu ganhei com o Léo em segundo, Groo em terceiro e o Fel ficando em último.

Depois disso a mesa do PR já estava focada numa partinda sanguinolenta de RISK 2210 e nós fomos para uma de Wiraqocha.

Esse é um jogo de tabuleiro modular onde cada jogador tem que perseguir um dos três objetivos do jogo para ganhar.


O tabuleiro modular do Wiraqocha.

Ele usa alocação de dados e apesar de começarmos implicando com o jogo no final das contas ele até é interessante, principalmente pelo tempo de partida (pouco mais de uma hora).

Esse tem chances de jogar novamente. Nessa partida o Groo levou conseguindo minerar os 7 cristais de somnium. E foi isso, um bom sabadão de jogos com a galera.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Rapidinhas de quarta

— Chega ao Facebook o Thunderstone. Plataforma bem tranquila de jogar e boa sugestão para aquele tempinho de ócio. Adiciona aí povo.



— Nesse fim de semana a GROW vai organizar em SP a primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Catan. Espero que passe pelo Rio esse evento.

— Passou batido por mim mês passado, mas não posso deixar de registrar mais uma vídeo resenha dos amigos da aBoard Games. Dessa vez o jogo escolhido foi o estratégico Hive.



— Por aqui nesse sábado rola Castelo das Peças. Será mais uma vez no Spoleto da Rua do Catete, 311. Apareçam por lá!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Para as Crianças : Ouro de Tolo



Como tinha dito no post anterior, esse fim de semana tive a oportunidade de jogar com meu muleque e a minha sobrinha o Ouro de Tolo, jogo da dupla André Zatz e Sérgio Halaban.

No jogo somos mineiradores atrás de riquezas, e quanto mais gananciosos, mais chances de prosperarmos (ou de ficar sem nada).


Cartinhas para ficar dando "pernada" nos adversários.

A mecânica é super simples, você tem três opções, ou sorteia uma pedra preciosa, ou joga uma carta ou finaliza sua ida à mina (e recebe dinheiro pelas pedras vendidas).

E é justamente aí que o Ouro de Tolo funciona super bem com todas as idades, minha sobrinha está com 11 e já joga as cartas direitinho com a manha de dar a pernada nos adversários, e o pequeno (com 4) fica só na parte de sorteio de pedras, o que ele acho super divertido.


O autor Sérgio Halaban e sua criação.

A produção da Ceilikan também está bacana pra esse título e fica aqui a recomendação para um joguinho leve para brincar com os pequenos (ou com as "crianças grandes").

domingo, 22 de janeiro de 2012

Domingão de joga em família


Arthur e Dudinha na mesa de Jenga.

Ontem a noite foi dia de uma joguinha em casa com a patroa e a galera do meu irmão (sobrinha e cunhada).

Aproveitando a carona da mesa de Buraco na qual eles começaram os trabalhos separei alguns que eu sabia que iam agradar ao povo.


O pessoal ainda jogando Buraco.

Primeiro o Arthur escolheu o Jenga, foram duas partidas divertidas com a torre indo bem alta, logo depois duas partidas do Ouro de Tolo (da dupla Zatz e Halaban).

Incrível que eu ainda não tivesse puxado esse aqui em casa, foi sucesso imediato, todos adoraram e já entrou na lista do "tio, vamos jogar esse".


Um Coloretto pra terminar bem o feriadão.

Depois para terminar a noite três partidas do Coloretto para mostrar que aqui em casa não rola concorrência, Hasbro, Ceilikan e Grow todos juntos divertindo a família.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Resenha : Ora et Labora



Reaparecendo no Spaghetti depois de um tempão ausente, nada melhor que voltar com uma partida da mais nova pérola do Uwe Rosenberg, o Ora et Labora.

Como vocês podem ter percebido o jogo agradou logo de cara e todos da mesa sairam com a impressão de "melhor de Essen".


Rondel dos produtos e prédios disponíveis.

No jogo somos membros do clero tentando aumentar a nossa diocese, para isso precisamos trabalhar um bocado atrás de bens para nos ajudar nas nossas construções.

Os jogadores tem para início de conversa um espaço com 15 campos, com 3 prédios já existentes, alguns poucos espaços para construção e espaços onde você pode desmatar para depois construir.


O espaço de cada jogador que pode aumentar durante a partida.

A mecânica central gira em torno de 3 ações específicas, que são : colocar um clérigo no prédio para que ele funcione, desmatar um campo ou construir um prédio.

A grande sacada do Ora et Labora é o rondel onde ficam disponíveis a oferta de produtos, ele funciona de uma forma bem interessante (essa é pra você Victor) e inovadora.


Vista geral com o jogo já avançado (Warny, Victor e Fel).

O jogo dura exatamente 24 rodadas (com 4 jogadores) e a nossa partida de aprendizado durou pouco mais de 3h terminando com a minha vitória, seguido pelo Warny, Victor e Fel.

Como era de se esperar de um jogo do Uwe no final nas mesas tínhamos muitos produtos e cartinhas na mesa, mas o jogo flui bem pra caramba e tudo funciona de forma coesa.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Abrindo a caixa : Poseidon's Kingdom



Hoje para vocês uma edição especial do Primeira Rodada com um vídeo que os amigos Fel e Groo fizeram da abertura da caixa e das pecinhas do novo jogo dos irmãos Lamont, o Poseidon's Kingdom.

Taí o videozinho para vocês, divirtam-se!



Rapidinhas de terça

— A Fantasy Flight, como sempre, já começa o ano mostrando ao que veio. Essa semana anunciou mais um Living Card Game, o Infiltration. Baseado no universo do Android esse jogo tem a assinatura do Donald "Dominion" Vaccarino.



— Outra da Fantasy Flight foram mais detalhes gráficos do Rex, o tão esperado prólogo do Twilight Imperium que usa as idéias do aclamado Dune (da Avalon Hill).

— Outra releitura é a versão tematizada do Catan para a franquia Star Trek. Não parece ter muitas alterações nas regras e os gamers já estão esperando uma onda "Catanopoly" com várias versões temáticas.



— E para quem curte expansão, já sairam as primeiras imagens da 7 Wonders : Cities. Como fã do jogo essa estou esperando com ansiosidade.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Dissecando : Mercadores de Dur Durany



Esses dias tive o prazer de receber mais uma criação do amigo Ilheu Hermes Müller, trata-se do jogo Mercadores de Dur Durany e é feito praticamente todo de forma artesanal e está sendo vendido pela Tércos.

Primeiro uma breve descrição dos componentes. Os tiles são todos cartonados, com uma espessura bem boa e com o corte perfeitinho, o tabuleiro de pontuação poderia ter sido melhor explorado, talvez um pouco menos espesso e indo até 100 pontos.


Todos os componentes do Mercadores.

Já as pecinhas dos jogadores são todas feitas em biscuit o que mostra todo o trabalho que o Hermes teve em cada cópia do jogo (e olha que o jogo comporta até 6 jogadores).

O manual poderia ser um pouco mais claro em alguns pontos, mas as dúvidas que ele levanta são facilmente sanadas para quem já tem alguma bagagem nos jogos de tabuleiro, então não é nada que depõe contra o jogo.


As pecinhas de biscuit feitas artezanalmente.

Agora vamos ao jogo propriamente dito. Ele usa duas mecânicas bem conhecidas, pontos de ação e tile-placement e remete a um Carcassonne espacial turbinado (por assim dizer).

Na rodada de cada jogador, temos 7 pontos de ação a serem gastos em 8 ações possíveis (comprar tile, colocar tile, colocar mercador, colocar nave nas rotas, voltar mercador, colocar cidade mercantil, trocar tile e colocar um tile neutro).


O jogo já bem avançado com vários mercadores no tabuleiro.

Você pode usar as ações quantas vezes quiser, desde que não estoure seus pontos. Algumas das ações dão pontos imediatos, outras no decorrer do jogo e outras dão uns pontinhos no final.

O jogo desenvolve bem e apesar de achar demorado para 2 (pouco mais de uma hora) ele funciona bem e tem boas estratégias envolvidas.

Rodada dupla no Shamouzão

Continuando a aproveitar as merecidas férias, ontem rolou uma joga dos vagabundos às 14h no Shamouzão, com a presença desse que escreve, o Fel e o Camilo.

Para iniciar os trabalhos estreia do Mage Knight Boardgame.


O tabuleiro já perto do final, com a cidade revelada.

Para quem não conhece, esse é um jogo do Vlaada "Dungeon Petz" Chvátil ambientando no mundo que a Wizkids criou para a sua primeira linha de miniaturas colecionáveis e que fez bastante sucesso no início dos anos 2000.

No jogo de tabuleiro temos pouca coisa que remetam ao jogo de minis. Ele trabalha com tabuleiro modular, muita regra, card-driften e várias decisões interessantes.


A área onde ficam dispostas as cartas do jogo.

Escolhemos o cenário de introdução que basicamente é explorar para fazer ponto, e assim que a primeira cidade aperece contamos a pontuação de cada um.

A partida serviu bem para vermos as regras e acredito que as próximas serão bem mais flúidas, mas ficou a impressão de um jogo bem interessante. Partida terminada Fel em primeiro, eu em segundo com o Camilo em terceiro.

Fechando a tarde puxamos um Puerto Rico edição de 10 anos. Aproveitando para jogar com todas as expansões possíveis.


Puerto Rico versão turbinada (Camilo e Fel na foto).

Nesse pareceu que a expansão dos nobres é bem roubada, mas enfim foi uma partida rapidinha e bem boa, final Fel com 65, Camilo com 62 e eu com 61. Todos bem próximos em pontuação.

Depois disso a SUDERJ informou as substituições do Cacá e do Fel pelo Shamou e o Márcio e o Shamouzão continuou até sabe lá deus que horas.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Rapidinhas de sexta

— Saiu essa semana a 11ª edição da Ludo Brasil Magazine. E nesse número temos duas participações minhas, uma na matéria sobre o mercado nacional e outra na tradução de um jogo print-and-play do Knizia. Pegaê!



— A Fantasy Flight já disponibilizou as regras para o Nexus Ops. De modificações pouca coisa, mas temos novas habilidades para as unidades, dois mapinhas legais para 2 jogadores entre outras coisinhas.



— E pra quem gosta dos jogos Zooloretto e Mondo do Michael Schacht, ele disponibilizou mini-expansões de ambos para imprimir no site dele. Lá dá para encontrar outras coisas para ambos os jogos.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Retrospectiva 2011 (parte 2)

Ontem falei sobre as 5 coisas mais legais que aconteceram em 2011 aqui no Brasil, hoje vou tentar fazer a mesma coisa só que com o mercado lá fora.

1. O ano de Stefan Feld

Ele já vinha se firmando como um dos grandes autores da atualidade, mas em 2011 ele conseguiu lançar 3 jogos acima da média : The Castle of Burgundy, Strasbourg e Trajan são a prova de que ele ainda vai nos brindar com muita coisa boa.


Trajan, uma das pérolas do Feld lançadas em Esse 2011.

2. Fantasy Flight

Nesse ano eles conseguiram chamar a atenção de várias maneiras. Além de lançarem uma PENCA de jogos e expansões novas ainda entraram num esquema de relançamentos poderosos e como isso não bastasse assinaram com a marca Star Wars para a sua série de Living Card Games. 2012 que os aguarde!



3. O fenômendo Kick Starter

Esse foi também o ano em que o Kick Starter virou uma das plataformas prediletas para arrecadar fundos para os jogos. Até editoras grandes (como a Eagle Games) está usando o sistema de "crowdfunding" para tirar um trocado dos jogadores e assim garantir seus lançamentos.

O chato é esperar meses para receber as paradas (eu ainda estou esperando meu Glory to Rome).


D-Day Dice, 171 mil dólares arrecadados num jogo de dados!

4. Essen 2011

Pode ter sido coincidência ou uma tendência, mas de todos os jogos que eu joguei da safra dessa Essen uns poucos eu achei bom/fraco a grande maioria foram grandes jogos ou excelentes jogos.

E não é só minha opinião não, da galera aqui do Rio que trouxe pra mais de 50 jogos de lá a maioria deles também é da opinião que esse ano a feira se superou em matéria de bons lançamentos.

5. Jogos de tabuleiro, agora no seu iCoiso

Em 2011 tivemos uma enxurrada de boas versões para mídias digitais. Muita coisa boa pode ser jogada agora direto dessas plataformas integrando modernidade ao mundo dos tabuleiros.


Agora dá pra jogar Puerto Rico no iPad e afins.

Eu confesso que ainda prefiro uma boa mesa com os amigos ao vivo, mas essa pode ser uma boa alternativa para quem está com a vida super atribulada e só consegue parar para jogar entre uma reunião e outra.

E é isso, talvez a galera que passa por aqui tenha notado outros destaques em 2011, mas essa foi uma visão bem pessoal do ano que passou.

Agora é torcer para um 2012 com muita coisa boa nova... e muita jogatina!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Retrospectiva 2011

Ano novo taí e com ele esperamos um mercado mais aquecido, lançamentos nacionais, novos jogos vindo de fora, um dólar mais baixo, mas em 2011 o que tivemos de mais legal aqui no Brasil?

Essa é uma pequena retrospectiva feita por mim com as 5 que mais me chamaram atenção em 2011. Vamos a elas :

1. Colonizadores de Catan pela GROW

Nada mais justo que começar a minha lista com o lançamento que mais mexeu com jogadores, designers e empresas aqui no Brasil.

Com a chegada do Catan nas lojas brasileiras tivemos aquela sensação de que finalmente estamos inseridos no mercado dos jogos modernos (mesmo com 15 anos de atraso).


Catan, o carro chefe das novidades em 2011.

2. ABRIN 2011

Foi a minha primeira ida a feira e justamente no ano em que se viu bastante coisa nova saindo. Tivemos além do já citado Catan lançamentos da Tóia, Game Office, Pais & Filhos, Ludens Spirit entre outras.

3. Lançamentos Nacionais

Esse foi outro grande destaque de 2011. Quantos jogos novos sairam esse ano! Tivemos gente competente arregaçando as mangas e botando no mercado jogos bastante interessantes e alguns deles chamando atenção inclusive para o mercado europeu.


Galaxia SA na ABRIN representando os lançamentos "indie".

4. Ludo Brasil Magazine

Como foi bom vermos novamente uma revista digital sobre jogos de tabuleiro sendo realizada aqui no Brasil. Ficamos órfãos da Strategos e por muito tempo deixamos de ter uma referência como essa.

Agora depois de 10 edições a Ludo tem respaldo, está trazendo sempre ótimas matérias e está cada vez melhor e em breve vai comemorar seu primeiro (de muitos) ano de vida.


Algumas capas da Ludo Brasil Magazine.

5. Novos (e alguns carimbados) autores

Vou tentar citar todos mas se eu esquecer alguém por favor não sinta-se ofendido, é por que realmente esse ano vários amigos conseguiram colocar nas ruas seus trabalhos, então as vezes não dá para lembrar de todo mundo.

Meus parabéns a : Antonio Marcelo, Flávio Jandorno, Gustavo Nascimento, Marco Macri, Vince Vader, Eduardo Jacober, Renato Sasdelli, André Zatz, Sérgio Halaban.

Esses foram meus 5 destaques de 2011 aqui em terras brasilis, claro que não posso deixar de citar os eventos que continuam a divulgar o hobby, os novos blogs e sites que ajudam nessa tarefa também. E amanhã os 5 destaques internacionais.