Publicidade:

segunda-feira, 2 de julho de 2012

RISK Legacy - A hora das meninas

Sexta-feira iniciando as comemorações do Dia do Jogo de Tabuleiro (que foi no último sábado), rolaram mais duas partidas da campanha do RISK Legacy.

Cheguei atrasado por conta do trabalho, mas ainda deu tempo de antes conhecer o Vegas, jogo indicado ao Spiel des Jahres desse ano.

 Não dá pra entender a indicação do Vegas pro SdJ. Fraquinho.

O Vegas é um dice-game com bastante interatividade mas com pouquíssimas decisões estratégicas. Basicamente rolamos dados e com os números apresentados vamos a determinado "cassino" tentar pegar a grana disponível, no final de 4 rodadas quem tem mais grana ganha. Nada demais.

Partimos então para as partidas do RISK. Na sessão anterior abrimos o envelope das duas vitórias, e bem as novidades que sairam de lá entraram em prática nessa.

 Mais um envelope foi aberto, e novas coisas etraram no jogo.

SPOILER (selecione o texto para aparecer) : Basicamente entrou uma nova "scar" em que o território que está com ela perde sempre uma unidade no final do turno do jogador que a controla e agora temos cartas com missões, que nos dão pontos a serem conquistados além dos habituais.

Na primeira partida da noite, eu e o Rony fizemos um pacto informal e cada um foi cuidar da sua vida sem atrapalhar o outro, a Vivian estava com o domínio da América do Sul e mesmo dizendo que tinha azar no dados e bla-bla-bla, acabou indo pra cima do Léo e da Taly e conseguiu a sua primeira vitória.

 Na primeira partida a Vivian saiu detonando.

Na segunda partida o pacto informal foi quebrado com sangue, eu e o Rony começamos o jogo na Europa e como eu estava com bastante sorte nas cartas de evento que me deram muitas unidades e o Léo estava vindo via Oceania direto pra europa sem muita resistência o Rony simplesmente foi eliminado do jogo depois de uns 2 ou 3 knock-downs.

Aí veio o que me faz ficar P... com jogos tipo RISK, num turno onde eu comecei posicionando 21 novas tropas e tinha dois caminhos relativamente fáceis para vitória, os rolamentos foram todos BISONHOS e eu consegui perder praticamente todas as unidades novas e avançar apenas UM território.

 Já na segunda a Taly ganhou sua primeira partida.

Com isso a Taly que tinha se preparado bem deu uma avançada via Groenlândia e México tomando uma das minhas capitais (uma que tinha sido do Rony) e a da Vivian, transformando essa terceira sessão de RISK Legacy em dia da meninas. Próxima sessão temos o envelope dos primeiro jogador eliminado para colocar mais coisas em jogo.

2 comentários:

Paulo Roberto disse...

Cara, você não adora quando a sorte te dá uma rasteira rsrs...Deu para ver que tirando o revés o jogo foi irado...Quero ver como no final da campanha, vai ficar o atlas geopolítico do Risk...(vocês estão colocando aqueles nomes fuleiros para os territórios conquistados?)

Cacá disse...

Fala Paulo... as partidas tem sido bem boas mesmo...

Os nomes fuleiros estão lá : já temos "Rio Bonito", "Westeros", "Far Far Away", "Aqui", "Cubralândia" entre outros...