quinta-feira, 12 de julho de 2012

Abrindo as caixas : Deterrence e Viajantes


Essa semana recebi dos amigos da Ceilikan os jogos Deterrence e Viajantes para fazer resenha. Vou dar uma pincelada sobre cada um deles e as minhas primeiras impressões, e até o final do mês também teremos resenhas detalhadas dos dois.

O Deterrence é um jogo para duas pessoas, criado pelo Paulo Santoro e com arte do Marcelo Bissoli ele é o terceiro jogo das caixas grandes da Ceilikan (precedido pelo Samurai e o Boolean).


Os componentes estão bacanas, com pecinhas de mdf e resina, um tabuleiro central rígido (separado em dois módulos) e os tabuleiros individuais num papel menos espesso mas com boa laminação.

Já o Viajantes é do amigo Marcos Macri e com arte cartunesca do Diego Sanchez. Esse tem a caixa menor (padrão Ouro de Tolo e Pássaros) onde temos todas as cartas necessárias para o jogo.


O Viajantes joga-se de 3 a 6 jogadores e a qualidade das cartas está bem boa, com laminação brilho e no formato padrão euro dando para colocar sleeves sem maiores problemas.

A primeira impressão foi bem boa, agora é ler as regras dos jogos e soltar as considerações finais sobre esses novos lançamentos dos amigos da Ceilikan Jogos.

5 comentários:

Paulo Santoro disse...

Obrigado pela postagem, Cacá, espere que aprecie os jogos! Sobre o Deterrence, se precisar de qualquer esclarecimento para jogá-lo, conte comigo. Você viu o vídeo em que explico as regras? Acredito que seja bem prático.

Cacá disse...

Fala Paulo... ví sim quando ele foi lançado, agora vou vê-lo de novo para ajudar com as regras...

Marcos Macri disse...

Olá Cacá! Agradeço também em meu nome e em nome da Ceilikan pela divulgação dos jogos! Torço para que os amigos aí do Rio se divirtam com o Viajantes, que é um "filler" bem tranquilo para se jogar com a família e também com jogadores casuais ou adolescentes. Um Grande Abraço!

Leonardo disse...

Dois jogos que estão na minha lista de desejados!

Paulo Roberto disse...

Estava comentando com o Hermes que jogos como Deterrence, são ótimos para se aplicar em salas de aulas, em História por exemplo, iria servir como um mecanismo para contextualizar a Guerra Fria na prática,fixando na mente dos alunos a matéria estudada... Parabéns Santoro...