Publicidade:

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Resenha : Discworld - Ankh-Morpork



Ano passado fiz uma lista dos jogos de Essen que eu estava com vontade de conhecer, bem, ontem consegui jogar mais um dessa lista no Spaghetti com a partida do Discworld : Ankh-Morpork.

Essa é uma parceria do grande Martin Wallace (Steam, Automobile, Brass) adaptando para os tabuleiros o universo de Discworld de grandes escritores de fantasia británicos Terry Pratchett.


Visão geral de Ankh-Morpork.

No jogo cada jogador tem uma personalidade com um objetivo secreto e tenta através das suas jogadas controlar os distritos da cidade.

A mecânica do jogo é super simples e rápida de ensinar (apesar da fama do Wallace), na sua vez o jogador baixa uma carta dentre as cinco disponíveis na mão, realiza a ação, repõe a mão e vida que segue.


Zoom dos distritos e seu controle de área aplicado.

As ações possíveis é que são a alma do jogo, colocar peças no tabuleiro, matar peças adversárias, construir prédios, puxar eventos, enfim coisas desse tipo que fazem o jogo bem dinâmico.

Eu gostei muito dele, é bem "filler" e com uma duração boa (jogamos em 40 minutos com 3 jogadores), entra naquela categoria de jogos divertidos para se ter na coleção.

2 comentários:

Andre Lucato disse...

Fala Cacá,

Faz tempo que tenho curiosidade no Discworld.
Como geralmente eu e meu grupo gostamos bastante de jogos mais "festeiros", com pitadas de sorte e passação de perna nos adversários Ankh-Morpork parece cair como uma luva.
Ah, bela arte a do jogo hein!

Cacá disse...

Fala André... Com certeza é o jogo para o seu grupo...

Eu gostei bastante dele e recomendo pra galera que curte um joguinho de trairagem... =D