Publicidade:

quinta-feira, 31 de março de 2011

Lembra desse? Alerta Vermelho



Lançado em 1979 pela Steve Jackson Games (aquele mesmo do Munchkin), o Alerta Vermelho chegou ao mercado nacional no início dos anos 80 pela GROW e esteve na prateleira de muitos dos amigos de jogatina.


As várias fases de formação de um alienígena. Foto BGG.

Nele dois jogadores se enfrentam na nave Startramp. Enquanto um dos jogadores faz o papelo da tripulação o outro comanda os alienígenas que vão se proliferando rapidamente e dominando a nave.

Os tripulantes ganham se exterminarem todos os alienígenas ou fugindo por um dos módulos de escape, enquanto os aliens tem que matar todo mundo à bordo.


A planta/mapa da nave Startramp. Foto Ilha do Tabuleiro.

Com um tema bem-humorado, desenhos cartunescos e regras que vinham com um "gibi" inserido nelas o jogo é até hoje impresso lá fora embora aqui em terras brasileiras tenha tido apenas a primeira impressão feita pela GROW.

terça-feira, 29 de março de 2011

Notinhas de terça-feira

— Vamos abrir com duas ótimas notícias para fãs da Fantasy Flight. A editora anunciou duas expansões para grandes jogos seus : The Horned Rat para o Chaos in the Old World e a Shards of the Throne para o Twilight Imperium. Lá vamos nós quebrar o "porquinho".



— Saiu semana passada a edição de março da revista digital WIN. Ela é toda em inglês e vem com resenhas do London, Castle of Burgundy entre outros. Baixem aqui.

— Passagem comprada, e dias 14, 15 e 16 estarei em São Paulo cobrindo a ABRIN desse ano e também visitando a Ludus e a FunBox. Depois matérias bem legais aqui no blog e quem sabe alguma promoçãozinha (não rolou nenhuma ainda esse ano).

segunda-feira, 28 de março de 2011

Resenha : Battleground



Nós que estamos nessa dos jogos sabemos o quanto é legal abrir uma caixa lotada de pecinhas e miniaturas e tals. Isso nós, adultos, algumas vezes até senhores já. Imaginem para uma criança?

Pois bem, eu comprei para o meu afilhado de natal (e só consegui entregar esse fim de semana) o Battleground.


Os Knights preparados para a batalha. Foto BGG.

O jogo nada mais é que duas facções (Orcs vs. Knights) batalhando para ver quem destroi o portal do inimigo primeiro. Aí você pergunta sobre mecânica, se tem dados, habilidades dos exércitos, não tem nada disso.

Temos basicamente lançadores de pecinhas impulsionadas por elásticos (catapulta, canhão e crossbow) para ir derrubando as pecinhas dos outros. Tem coisa mais divertida? Claro que não, se você tem 6 ou 7 anos.


E os Orcs também não serão derrotados facilmente. Foto BGG.

Acabou que passamos uma tarde super legal, eu e meu muleque, o meu afilhado e o pai, vendo quem conseguiria destruir mais coisas. Boas risadas foram dadas e eu tenho certeza que o jogo fez sucesso e super recomendo àqueles que tem filhos nessa idade, ou sobrinhos, ou afilhados. É certeza de diversão.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Notinhas de quinta-feira

Só pra vocês não dizerem que eu tô de preguiça, vão umas notinhas para manter o blog em movimento (semana de muito trabalho galera).



— A Flying Frog começou a liberar as primeiras imagens do seu mais novo jogo chamado Fortune and Glory. Novamente eles primam pelas imagens (que já são seu cartão de visitas), mas a diferença é que pelo visual da caixa, parece que teremos um "big-box" bem ao estilo Fantasy Flight.

— Outro jogo que começa a mostrar a cara e parece muito interessante é o Olympus. Parceria entre o Philippe "Small World" Keyaerts e a Ystari esse parece ser um jogo promissor jogo de civilização, vamos ver se a Ystari volta a acertar a mão.



— Esse sábado tem Castelo das Peças. Esse mês será no Spoleto da Rua do Catete, 311 e começa as 11h e vai até as 22h, todo mundo convidado a aparecer.

— E para galera que está com vontade de testar sua sorte, está no ar uma promoção lá no BGG onde serão sorteados 10 jogos Airlines Europe da Abacusspiele. Aliás 9, um eu pretendo ganhar.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Notinhas de quinta-feira

— Para os fãs do Senhor dos Aneis, a Fantasy Flight acaba de disponibilizar as regras do seu Lord of the Rings: The Card-Game baseado no universo do Tolkien, parece bem promissor.

— Está em fase de finalização um documentário sobre a diversão que é colecionarmos jogos de tabuleiro. Going Cardboard foi produzido por Lorien Green e pelo trailer parece bem interessante. Dá para ajudar no projeto e ainda fazer uma reserva da sua cópia.

Collecting Designer Board Games from Lorien Green on Vimeo.


—E a conversão de jogos de tabuleiro para as plataformas iCoisos agora foram agraciadas com uma premiação, o Small World acaba de receber o Pocket Gamer Award for Best Strategy/Simulation Game. Com isso espera-se que mais jogos cheguem a essas plataformas.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Lembra desse? Globo Game



Aproveitando a onda ufanista resolvi criar uma área aqui no blog para relembrar alguns jogos que embalaram nossas tardes e que talvez tenham sido responsáveis pelo predileção de muitos de nós pelos jogos de tabuleiro.

Dando uma olhada na minha prateleira pouca coisa sobrou dessa época, mas um que eu ainda tenho é o Globo Game.


Os tabuleiros individuais gigantes para programação.

Lançado pela GROW em 88, esse é um jogo originalmente criado no Brasil onde somos emissoras de televisão responsáveis por preparar a grade de programação, conseguir os patrocinadores de acordo com o que está sendo exibido para com isso conseguir mais audiência que a concorrência.

Acredito que por levar estampado a marca da maior rede de televisão do país, todo o material empregado no jogo é de alta qualidade para os padrões brazucas. Os tabuleiros de cada jogador são imensos e de material super resistente, as fichas com os programas também e até mesmo a caixa tem qualidade superior aos mesmos jogos da época.


Os outros componentes como grana, programas e fichas de audiência.

Em matéria de mecânica, o jogo tem um pouco de econômico com a questão da gestão dos programas nos horários certos com os patrocinadores que darão mais grana. Mas com certeza o mais legal de abrir a caixa hoje é ver os programas (A Gata e o Rato, TV Pirata, Os Trapalhões), os filmes do Tela Quente (Indiana Jones e o Templo da Perdição, Goonies, A Garota Rosa Shocking) e lembrar que eles realmente foram sucesso um dia nas nossas programações.

terça-feira, 15 de março de 2011

Notinhas de Terça

Semana devagar, vamos de notinhas até que eu pense em mais alguma coisa (hehehe) :

— Os amigos da Ceilikan acabam de anunciar seu segundo título, e dessa vez apostam em autores consagrados aqui no Brasil. Vai sair o jogo Ouro de Tolo da dupla Zatz/Halaban. Em breve, resenha.



— Falando em lançamentos nacionais, foi divulgada a capa do terceiro jogo da dupla Flavio/Antonio a ser lançado na Abrin desse ano pela Tóia/Riachuelo Games, o Casa da Fama. Pela caixa dá pra ver que ele parece ser o mais "party" dos três, vamos esperar as regras.

— Para completar a lista, a Galápagos Jogos vai relançar o Recicle : Tempos de Crise. Do amigo Luish Coelho, agora o jogo terá uma tiragem maior, então não deixem de pegar o seu.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Resenha : Troyes

Conforme prometido ontem, vou falar um pouco mais sobre o Troyes.

Esse jogo foi criado por 3 belgas encabeçados pelo Xavier Georges do ótimo Carson City (que já teve resenha aqui no blog), nele temos duas mecânicas que apesar de bem batidas ultimamente, são trabalhadas de forma diferenciada : work-placement e rolagem de dados.



Em Troyes temos basicamente três áreas que represantam religião (dados brancos), militar (dados vermelhos) e as civís (dados amarelos).

Em cada uma dessas áreas temos cartas para dar pontos e benefícios onde colocamos os nossos workers e fazemos elas funcionarem através dos dados que são rolados.


Tabuleiro com seus distritos e distribuição dos dados. Foto BGG.

Aí você deve estar se perguntando, "poxa, mas tem dados, deve ser sorte pura", aí que está o grande mérito do jogo, a sorte nos dados é tão controlável e você tem tantas formas de conseguir os valores que você precisa que é quase nula a sorte embutida nesses rolamentos.

Ainda temos boas doses de "pernadas" entre os jogadores que ficam roubando os dados para rolagem e até mesmo depois de rolados durante o jogo e também temos eventos para combater que nos dão prestígio que trocamos durante o jogo por benefícios.


Um zoom nas cartas e como elas funcionam no jogo. Foto BGG.

O jogo dura 6 rodadas (que em média dá umas 2h de partida) e no final quem tiver mais pontos de vitória leva.

Ele foi um dos grandes destaques da Essen desse ano e com razão, pois é um jogo bem interessante, com boas doses de estratégia e acima de tudo, bastante divertido de se jogar.

quinta-feira, 10 de março de 2011

LUDO BRASIL MAGAZINE... Nas "bancas"!

Saiu hoje a mais nova revista eletrônica sobre jogos de tabuleiro, a Ludo Brasil Magazine chega com bastante conteúdo em mais de 50 páginas bem ilustradas e com assuntos bem diversos como entrevistas, resenhas e artigos.

Até como na antiga Strategos temos um jogo print-and-play encartado na revista para a galera imprimir e se divertir.

Destaque para minha resenha do ótimo Small World (ehehehe). Brincadeira à parte, vale muito a pena dar uma olhada na revista que para o primeiro número veio caprichada e com poucos ajustes para serem feitos para as próximas edições.

Você pode lê-la on-line aqui embaixo ou fazer o download dela em PDF diretamente no blog da revista.

Joga de carnaval na casa do Flávio

Domingão de carnaval foi dia de jogatina com a galera na casa do Flávio. A parada começou cedo e terminou pra lá das 22h da noite.

Quando eu cheguei já tinha uma turminha boa com os trabalhos já começados (dá pra ler o que rolou lá no blog do Zombie), com uma turma grande já disposta, puxamos um 7 Wonders.


Mesa cheia na primeira partida de 7 Wonders do dia.

Não canso de jogar ele e a cada partida gosto mais das possibilidades que ele apresenta para "montar" sua partida. Nessa eu joguei de pirâmide e fiz a festa com as cartas azuis, no final acabei ganhando com uma diferença boa para o Caldas que ficou em segundo, completando o scoring Victor, Groo/Zombie, Fel e Flávio.

O Bouzada ligou dizendo que estava chegando então decidimos jogar alguma coisa rapidinha para esperá-lo, e nisso foram dois party-games bem divertidos. O primeiro chama-se Jungle Speed.


Giovana não deixou cair o Jenga Max, já o Zombie...

Nele temos que nos livras das cartas do nosso bolo sendo os mais rápidos a pegar o "breguelete" que fica no meio da mesa, para que isso aconteça assim que saem cartas com formato EXATAMENTE igual quem for o mais rápido empurra as cartas para o outro. Essa eu venci.

Depois partimos para um Jenga Max. Divertido jogo na linha "monte e não deixe cair" onde vamos criando tipo uma árvore com as peças e em determinado momento o miolo (que é fixado com um imã) cai e todos ganham... Menos o Zombie que foi que deixou cair tudo, hehehehe.

Com a chegada do Bouzada dividimos duas mesas, uma ficou com o Antics! (resenha da partida lá no blog do Zombie) e a minha mesa (mais o Victor, Fel e Caldas) puxou um Troyes.


Troyes : Interessante forma de amenizar a sorte nos dados.

Depois vou escrever uma resenha mais detalhada sobre o jogo, mas vale dizer que é um jogo bem interessante e apesar de ser um jogo de "alocação de dados" ele tem a sorte super reduzida. Na nossa partida acabei terminando empatado em primeiro com o Fel, o Victor em segundo e o Caldas em terceiro.

Depois disso rolou uma debandada geral e quem ficou (eu, Caldas, Bouzada, Victor e Flávio) jogou uma partida de Norenberc.


O grande mercadão de Norenberc.

Esse é outro dos jogos que eu gosto mais a cada partida. Nessa a coisa ficou bem apertada e no final levei por um ponto de diferença para o Flávio, confesso que não lembro mais como ficaram as outras colocações.

Para fechar a noite de jogatina mais uma partida de 7 Wonders (que o Flávio levou) e mais duas de Jungle Speed (uma o Flávio e outra eu ganhei), mais uma vez uma jogatina "padrão" na casa do Flávio (que fora os jogos ainda tem uns "quitutes" de primeira linha).

sexta-feira, 4 de março de 2011

Notinhas Pré-carnavalescas

— A Fantasy Flight entrou na onda dos deck-buildings e está anunciando o Rune Age. Ambientado no universo de Terrinoth o jogo segue a linha de sucesso do Dominion e Thunderstone. É esperar pra ver o que sai daí.

— Já a Alderac (do Thunderstone), viu que esse filão é uma boa e vai lançar o Nightfall. De diferente a temática de terror, vamos ver se repete o sucesso.



— Dia 10 de março vai ser o dia oficial do lançamento da nova revista brasileira digital sobre jogos de tabuleiro. A Ludo Brasil Magazine vem para ocupar o espaço deixado pela extinta Strategos e tem tudo para ser um sucesso.

— Para os foliões lúdicos, no sábado dia 12 (logo após o carnaval) tem Torre das Peças. Novamente no Spoleto da Rua do Catete, 311 (galeria do Cine São Luiz). Apareçam!

E é isso por enquanto, o blog vai ficar meio paradão até quinta-feira, bom carnaval com muita jogatina para todos.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Primeira Rodada : Merchants & Marauders

Passado o resultado da Math-trade fiquei sem trocar alguns jogos, dentre ele o aguardado Merchants & Marauders. Resultado, ontem abri a caixa dele para dar uma "namorada" nos componentes.


Tudo saidinho da caixa, bem pesado!

A primeira coisa que se nota é o peso da caixa, mesmo ela não sendo das mais grossas é pesadona, ao abrir sabemos porque. Muita cartolina, um tabuleiro grandão, 4 decks de cartas, dados personalizados e navios finamente esculpidos.

O povo do Spaghetti já jogou ele e disse que apesar das várias rolagens de dado é um excelente jogo, bastante temático e interessante. Vou ler as regras com calma e quem sabe jogar uma partida do que já está aberto para ver se termino de "desempacotar" o meu.

terça-feira, 1 de março de 2011

Novo TOP 5 de autores

Depois de fechada a Math-trade de Carnaval eu consegui mais 3 jogos para a minha coleção de Martin Wallace (à saber o Automobile, Perikles e Tempus), aí resolvi dar uma mexida na minha lista de melhores autores.

Da última vez que eu coloquei a lista aqui no blog, já tinha alguma bagagem nos jogos modernos, mas acho que agora eu tenho um embasamento muito melhor para fazer o meu TOP 5. Vamos lá:

1 : MARTIN WALLACE (4º em 2008)
London, Automobile, Rise of Empires

Ele tem criado jogos fantásticos ano após ano e até mesmo quando resolve inovar (como no caso do London) tem tido mais acertos que erros. Atualmente é "o cara" dos jogos fodões.

2 : STEFAN FELD (primeira vez no TOP)
Macao, In the Year of the Dragon, Notre Dame

Impressionante como esse cara consegue se re-inventar em cada jogo, tendo lançado 4 títulos seguidos pela Alea (e com o 5º à caminho) ele tem nos últimos 6 anos construído uma carreira sólida entre os grandes autores.


Wallace e Kramer em Córdoba. Foto BGG.

3 : UWE ROSENBERG (primeira vez no TOP)
Agricola, Le Havre, At the Gates of Loyang

No primeiro TOP ele acabou ficando de fora pois "só" tinha lançado dos pesados o Agricola, mas mesmo assim eu já gostava do Bohnanza. Depois disso ele lançou mais 3 grandes jogos (coloco aí o Merkator também) o que tornou ele um dos caras mais badalados nos últimos anos.

4 : WOLFGANG KRAMER (3º em 2008)
Cavum, Asara, Tikal II

Mesmo não tendo conseguido nos últimos anos criar jogos que se equiparem aos seus grandes clássicos, o Kramer ainda assim lança jogos sólidos, bacanas e até mesmo com elementos inovadores, isso faz com que seus jogos ainda sejam recebidos com atenção.

5 : Kris Burm (primeira vez no TOP)
Projeto GIPF

Ele entra na lista exclusivamente pela série GIPF, são 7 jogos fantásticos que privilegiam a estratégia e o raciocinio, além de serem visualmente lindos. Uma pena que ele esteja desde 2007 sem lançar nada, principalmente continuando a série.

É isso, da lista antiga sairam o Teuber e o Knizia que apesar de ainda serem grandes autores na minha opinião (estão no meu TOP 10) tem andado bem devagar em coisas realmente interessantes.