Publicidade:

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Brasil em Essen (parte 1)

Esse é um diário de bordo feito pelo amigo Victor Caminha que foi a Spiel desse ano em Essen e nos conta como foram os dias dos sonhos de qualquer gamer.

4ª feira (19/10): Chegada em Essen, dia fechado para o publico em geral. Eu, Warny e Bruno conseguimos entrar graças ao Jorg, um alemão que esteve no Spaghetti/Castelo das Peças em maio deste ano. Infelizmente, por regra não eram vendidos jogos nesses dia, mas conseguimos comprar o Trajan e o MIL. Volta pro Hotel, obtenção dos tickets dos 4 dias (vale muito a pena comprar adiantado!).


Uma geral de Essen. Foto Spiel Portugal.

Encontramos o Renato Silva da Galapagos Jogos na entrada do Hotel e combinamos nos encontrar no dia seguinte.

5ª feira (20/10): O dia mais louco de um boardgamer. Nós fomos, mas não acompanhamos a Spiel nesse dia. Sério, estavamos ocupados demais correndo e comprando os jogos em cada stand que marcamos no mapa dos halls e ainda assim não conseguimos obter alguns jogos por eles terem acabado antes mesmo da primeira hora da Spiel (No caso, a expansão do Civilization e o Panic Station para o Warny).


Vários lançamentos é só escolher. Foto Spiel Portugal.

DICA: Quando forem a Spiel, recomendo fortemente que acompanhem obsessivamente o BGG para verificar lançamentos, analisar regras (especialmente se será em inglês ou se será independente de idioma), descobrir se aquela editora (ou representante) estará em Essen e em que stand. E muito importante: FAÇAM PRÉ-ORDERS! Um pré-order pode ser a diferença de você poder obter um jogo ou não (como consegui no caso do Eclipse e do Poseidon's Kingdom).


Chance de conhecer os autores (como Wolfgang Kramer). Foto Spiel Portugal.

Nesta correria, cada um de nós carregava uma mala vazia e enorme para colocar os jogos. Teve uma hora que eu estava com a mala cheia, além de 5 sacolas – hora de voltar ao hotel, depositar o saque e depois retornar com a mala vazia para comprar mais jogos. Nesse dia encontramos o Daniel Espinola de Brasilia, além do Renato da Galapagos, que dedicou-se a fazer reuniões com representantes de outras editoras. Ao chegarmos ao Hotel, uma maratona de 8 horas (de 21h até 5 da manhã) para destacar as peças dos frames, jogar insert fora e rearrumar o espaço nas malas para podermos comprar mais jogos no dia seguinte, mas em um dia obtivemos 90% dos jogos que queríamos.


Reedições super aguardadas. Foto Spiel Portugal.

6ª Feira (21/10): O dia para apreciar Essen. Foi um alivio poder andar pela convenção sem pressa, podendo conversar com designers (McGertds, Vlaada, Gil Orey, Phil Eklund, Rosemberg) e beber uma garrafa de Agrico-lava. Isso sem falar nos vários stands de jogos usados com muitas promoções (Neuland a 5 euros, Pueblo a 24 euros, muitos jogos em alemão a preço ridiculo, como um Rise of Empires a 10 euros!). Nesse dia e no domingo pude obter a maioria dos promos e aproveitei para conversar com o Seth da Mayday (que fala portugues com boa fluência, por acaso). Infelizmente, não conseguimos encontrar os lusos Nuno Sentieiro e Paulo Soledade da MESAboardgames, embora o Warny tenha encontrado o Philippe da Runadrake. Para quem quer ver algo além de tabuleiros, a feira tem um stand de jogos eletronicos, um hall dedicado a comics e parafernálias medievais para os interessados. De noite, saimos para jantar. E quem diria, os alemães não conhecem bem o conceito de "água mineral sem gás". E recomendo cuidado para quem não gosta de comida apimentada ou curry.

2 comentários:

jp_limac disse...

Cacá, faça-me um favor de analisar o TRAJAN que eu estou de olho faz um tempão.

Parabéns pela viagem. Parece-me que foi o máximo!

JOão Paulo

Cacá disse...

Fala JP... Na verdade eu só tô postando o diário de bordo dos amigos que foram...

Eu tô babando que nem a maioria dos leitores do blog... hehehhehe...

Devemos jogar o Trajan amanhã.. com certeza tem resenha depois... =D