quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Bomba! Bomba! no Cacábouço

Ontem rolou uma jogatina light bem boa lá em casa. Começamos com uma mesa de 7 Wonders com as presenças do Shamou, Groo, Fel, Bobby e Quico.

Jogamos com os líderes e eu saí com uns beeeem ruins, e no final do draft só estava com porcaria na mão. Não que isso tenha sido determinante no meu jogo, mas serviu para meu jogo ficar bem abaixo do habitual.


Minha área no 7 Wonders, bem fraquinha.


Já o Fel pegou o líder que permite baixar as cartas roxas grátis, esse realmente é o mais forte e fez com que ele ganhasse com uma diferença bem grande em relação aos outros.

Depois disso o Quico voltou pra casa e jogamos uma partida do The Manhattan Project.

Usamos a mini-expansão das nações que dá uma dinâmica interessante ao jogo, com cada um tendo um prédio com um poder especial. Eu (de Rússia), o Bobby (de Alemanha) e o Shamou (de USA) usamos bastante o nosso.


O tabuleiro central do The Manhattan Project.

O Fel (de Inglaterra) estava naqueles dias em que tudo dá certo, e mesmo com a possibilidade de bombardeios (que acabaram não acontecendo) ele conseguiu fazer duas bombas de urânio que garantiram a vitória, comigo em segundo, Groo (de França) em terceiro, Bobby e Shamou não chegaram a construir nenhuma bomba.

4 comentários:

Eduardo "Bobby" Alves disse...

Tá vendo, e fui chamado de nervoso por detonar o figther do Fel. Devia ter bombardeado esse britânico chorão :)

Cacá disse...

Tem que sair batendo nesse cubra mesmo... da próxima vai ter mais belicosidade... =)

Luish Coelho disse...

ei cacá, blz? não sou de jogar o 7 maravilhas, mas a meu ver, se isso que ocorreu na partida de voces, se tivesse acontecido em algum playteste que voce tava participando, mereceria recomendar para mudar o jogo? ou não?

abraço!
Luish

Cacá disse...

Fala Luish... o problema realmente foi uma falta de sorte fudida associada a escolhas erradas no meu caso...

Já o líder que o Fel tirou, a gente ficou de ver alguma errata nele, pq realmente ele absurdamente mais forte que os demais...

Abraços...