sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Resenha : Merkator

Ontem tive a oportunidade de jogar o mais novo jogo do Uwe "Agricola" Rosenberg, ele se chama Merkator e foi lançado na última Essen.



Nele fazemos o papel de mercadores que precisam cumprir contratos para com isso ganhar prestígio e poder cumprir contratos melhores.

A mecânica do jogo é bem inteligente e interessante, temos uma primeira fase de investimento, onde o jogador da vez pode vender contratos menores para com isso conseguir grana para comprar cartas bonus (que dão pontos no final ou fazem que o jogador receba mais cubos de bens durante as viagens).


Tabuleiro central com as cidades, ampulhetas e cartas.

Depois disso o jogador escolhe uma das cidades do mapa para ir, nessa cidade ele recebe cubos e pode cumprir os contratos, os outros jogadores podem pagar para ir de carona nessa viagem e cumprir também seus contratos.

Uma vez que você cumpra esse contrato você recebe um novo de um valor imediatamente acima (cumpriu um nível 3, ganha um nível 4) e basicamente o jogo se desenrola dessa forma.


O tabuleiro de cada jogador onde colocamos nossos bens e contratos.

Ele termina de duas formas, a primeira é se os tokens de ampulheta (que você ganha em determinadas cidades) acabarem ou quando o primeiro jogador cumprir um contrato de nível 10, e aí o jogador que tiver mais pontos entre os contratos e as cartas de bonus ganha.

Da série de jogos do Uwe esse é o mais flúido e que se desenvolve mais rápido, apesar de não estar no nível de um Agricola ou Le Havre é um jogo bem bacana que verá mesa mais vezes com certeza.

Um comentário:

#nbs# disse...

Jogámos isso a dois à uns dias...
Achei bem fraquinho para a qualidade que o Uwe nos habituou .
Aquele mecanismo "pick up and deliver" é muito visto, e as cartas de pontos de vitória um autêntico disparate...
Gostei das caixinhas para os cubos, e do mecanismo de tempo, de jogar fora de turno... mas a dois simplesmente não funciona.
Esperemos que o Ora e Labora volte a ganhar inspiração nos clássicos Agricola e Le Havre...

Abraço