Publicidade:

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Resenha : 7 Wonders



Acho que um dos grandes baratos dos jogos de tabuleiro é a capacidade de reinvenção de mecânicas e estilos de jogos, quando a gente acha que já viu de tudo alguém chega e as vezes com uma solução simples transforma um simples jogo de cartas em algo genial.


Todos os componentes do 7 Wonders. Foto BGG.

Foi exatamente isso que Antoine Bauza (de Ghost Stories e Pony Express) fez com o seu 7 Wonders.

Esse card-game foi uma das grandes sensações de Essen e faz jus a todo o alarde, é um jogo simples, rápido e inteligente, com várias possibilidades para vitória e uma grande rejogabilidade.


Como fica a mesa durante uma partida. Foto BGG.

Basicamente é um jogo de draft (pega X cartas, fica com uma e passa o resto adiante) passado em 3 "eras" onde os jogadores podem se utilizar dos recursos dos adversários (pagando por isso), precisam maximizar seus pontos com algumas combos, se proteger do poder militar dos vizinhos e ainda completar as suas maravilhas para ganhar mais uns pontinhos e benefícios.

Tudo isso de forma dinâmica, as partidas que eu joguei não duraram mais de 40 minutos (com 5 e 6 jogadores). Por esses motivos, 7 Wonders tem tudo para ser um dos grandes destaques nas premiações de 2011, fiquem de olho.

Nenhum comentário: