Publicidade:

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Resenha : Masons



É sempre legal quando você encontra pequenas pérolas que passam desapercebidas por conta da grande profusão de jogos que a gente acaba conhecendo depois que entra nessa onda dos jogos de tabuleiro modernos.

Ontem estreei o Masons com meu irmão e foram três partidas bem interessantes, taí uma pequena resenha sobre esse título do Léo Colovini (Cartagena / Clans).


Zoom no tabuleiro com o jogo quase terminando. Foto BGG.

Ele é um jogo abstrato com tema colado. Nele temos um tabuleiro com marcações triagulares formando um campo. Na nossa rodada somos obrigados a colocar uma cerca em um dos espaços desse campo, então rolamos 3 dados que indicam a cor da torre e das casas que serão colocadas na interseção do campo e vizinhos à cerca.

O jogo segue dessa forma até que alguém cerque um conjunto de casinhas, aí temos uma rodada de pontuação onde cada jogador pode usar uma ou duas cartas referentes a cidade fechada em questão e/ou aos campos ainda abertos, para depois comprar uma nova carta.

Quando as torres / cercas / palácios terminam o jogo acaba e quem tiver mais pontos de vitória ganha. Simples assim.


Os dadinhos usados durante o jogo. Foto BGG.

Masons tem uma cara daquele antigo jogo de ligar os pontos que eu jogava muito no colégio (e confesso que ainda sou fã), e é bem estratégico e adaptável ao que você tem de carta na mão.

Foi uma grande aquisição à coleção e para quem curte joguinhos inteligentes de meia-hora e com boa dose de estratégia, não pode deixar passar.

2 comentários:

el_mago8 disse...

Estoy de acuerdo. Es una joya:
*Reglas sencillas
*Buenos componentes
*Rejugable
*Entretenido

Grandisimo autor Leo Colovini.
Tambien recomiendo de este autor el Clans y el Puentes de Shangri La.
Otras dos joyitas más pequeñas :)

Cacá disse...

hola mago...

Leo Colovini es un gran autor, me gusta mucho Catagena e Clans...

Pero no he jugado el Puentes. =)

Abrazos...