Publicidade:

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Resenha : Runewars



Depois de algumas partidas já dá para escrever um pouco mais sobre esse fantástico lançamento da Fantasy Flight em 2010, o Runewars.

O jogo foi criado por Corey Konieczka que tem no seu currículo alguns jogos muito bons como o Battlestar Galactica e o Tide of Iron, mas acho que foi com o Runewars que ele deu um "passo-adiante".


Tabuleiro central e o para cada jogador no Runewars. Foto BGG.

TEMA : O jogo é uma épica disputa entre 4 raças pelo domínio das runedragons. Baseado nos universos de Runebound e Descent ele coloca humanos, elfos, mortos-vivos e os utuks em batalhas e em negociações com heróis e monstros para conseguir seus objetivos.

MECÂNICA : A mecânica primordial do jogo é a de seleção simultânea de ações. Todos os jogadores dispõe de um deck onde temos que a cara "estação" escolher uma das ações a serem resolvidas.

Outra coisa interessante são as cartas que regem as estações, essas são abertas no início do turno e trazem coisas boas ou ruins para o decorrer do mesmo. Ao final de 6 anos (24 turnos) quem tiver mais runedragons ganha, ou o primeiro jogador a coletar um número fixo delas.


Zoom nas minis do Runewars. Foto BGG.

Para mim a única coisa "mal resolvida" foram os combates. A ordem tipo Nexus Ops funciona bem, mas a resolução através das fate cards acho esquisita, talvez alguma coisa com dados e cartas funcionasse melhor, mas de forma alguma tira o brilho do jogo.

COMPONENTES : Estamos falando do padrão Fantasy Flight de qualidade. Mas eles estão se superando, as montanhas são em 3D o que deixa o tabuleiro montado lindo demais. As cartas, exércitos, tokens e afins são realmente impressionantes e tudo isso vem na "caixinha" tipo Twilight Imperium e Tide of Iron.


As cartas que regem as estações. Foto BGG.

DIVERSÃO E REJOGABILIDADE : Para quem curte os jogos épicos ele é excencial na coleção, tem tudo para vir a ser um dos grandes clássicos da Fantasy Flight, e aposto nas expansões para mais jogadores e coisas afins.

O Tabuleiro modular confere uma rejogabilidade bem grande e as diferentes raças também (já que você pode ir variando para testar as diferentes formas de jogar de cada uma). Enfim, título obrigatório.

Um comentário:

Carlos Eduardo disse...

Cacá

Esse eu estou de olho, mas infelizmente ainda não tive como jogar.

O blog está ótimo, como sempre. Parabéns!

Abraços,

Cadu.