Publicidade:

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Resenha : A la carte



Como disse no post anterior, durante o open-house aos amígos de jogatina tive a oportunidade de conhecer dois jogos bem divertidos, hoje vou falar do que eu achei mais legal, o A la carte.

Nesse jogo somos chefs numa disputa para quem faz os melhores pratos e de preferência com a maior perfeição possível. O autor dessa pérola de 89 é Karl-Heinz Schmiel, para quem não se ligou ele é autor do Die Marcher e do Tribune.


A área de "trabalho" de cada chef.

As regras do jogo são bem simples, na sua rodada você tem 2 ações : rolar o dado para aquecer o fogão ou colocar os ingredientes no seu prato. Você pode realizar 3 vezes essas ações.

Mas ele é um jogo de destreza acima de tudo, para colocar os ingredientes você tem 4 potinhos onde caem as paradinhas e elas tem que ser viradas apenas uma vez, então as vezes caem mais de um ingrediente e as vezes não cai nada fazendo você gastar uma ação atoa.

Tem também uma quantidade de sal dentro dos potinhos que podem estragar com o seu prato e é claro tem o Crèpe que é a grande diversão, pois você para conseguir finalizá-lo tem que girar ele no pratinho, fora que os outros chefs também podem te dar umas rasteiras aquecendo seu fogão ou colocando mais tempero nos seus pratos.


Os ingredientes a serem usados e o sal.

O jogo termina quando algum chef consegue 3 pratos perfeitos (nesse caso ele ganha), quando o primeiro chef faz 5 pratos (aí a vitória é definida pelos pontos) ou quando um chef não puder pegar mais nenhum prato no menu (também defini-se o vencedor pelos pontos).

Enfim, o jogo é muito divertido e garantia de sucesso entre não-gamers e uma boa opção para ser jogado no meio de uma jogatina antes de alguma coisa mais séria.

2 comentários:

Felipe disse...

produção impressionante!

E ainda ter sido criado pelo sr Die Macher só me deixa mais curioso.

Quero jogá-lo!

Abrax,

Fel

Cacá disse...

O jogo é divertidão mesmo, o Flávio vai levá-lo no Castelo de sábado...