Publicidade:

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Resenha : Witch's Brew



Como tenho escrito as sessões do Calabouço direto no blog de lá, tenho mais tempo de escrever sobre as novidades que tem aparecido para jogar, e na última quinta eu joguei pela primeira vez o Witch's Brew.

Esse jogo foi lançado pela Alea em 2008 e é o quarto título das caixas médias. Criado pelo designer Andreas Pelikan esse é um card-game muito bacana utilizando uma mecânica já bastante conhecida, a de seleção simultânea de papeis.


Imagem de divulgação da Alea.

TEMA: No jogo somos bruxos que temos que fazer as melhores poções e para isso temos que coletar os elementos (sangue de lobo, suco de ervas e veneno de cobra) para fazermos elas.

MECÂNICA: Cada jogador recebe um deck de ações composto de 12 cartas, para cada rodada são selecionadas 5 dessas ações e em cada turno optamos por uma dessas 5 ações. O líder então abre a sua escolha, o jogador seguinte então escolhe se ele segue como aprendiz, ou se toma o lugar do líder.

Caso siga como aprendiz utiliza o poder secundário da carta, caso resolva ser o líder assume essa posição e o jogador anterior perde a ação e a rodada segue até que todos tenham feito sua escolha (ou passado caso não tenham escolhido dentre as 5 cartas a ação da vez).

O jogo termina quando se compram 4 cartas tem poção que tenham um corvo desenhado, aí termina-se o turno e contam-se os pontos.


Setup inicial com as poções dispostas. Foto BGG.

COMPONENTES: Padrão Alea de qualidade, com cartas muito bem ilustradas, pecinhas em madeira e apesar de eles cismarem em usar a mesma caixa interna isso não prejudica na hora de guardar o jogo.

DIVERSÃO: O jogo acaba sendo uma sucessão de jogadas onde você pode dar pernada nos outros jogadores, o que garante boas risadas e boas sacanagens e como eles tem ícones bem intuitivos não tem problema da barreira da lingua (nós jogamos a versão alemã e foi tudo bem tranquilo) o que torna o jogo um excelente gateway.

11 comentários:

Fel disse...

Cacá é foda, ganha o jogo faz logo uma resenha!

Matéria boa pra Strategos ;)

Edu disse...

Bom review, eu gosto desse jogo, mas o problema dele é que sempre tem algum apressado que não espera sua vez de dizer se é lider ou aprendiz, e acaba facilitando a vida de outros.

Cacá disse...

Verdade, na nossa partida aconteceu isso uma vez, mas não foi decisiva, mas o jogo é bem gostosinho sim... e ao contrário do que o Fel fica dizendo eu iria fazer resenha dele mesmo se tivesse perdido...

Abraços ao Edu... pro Fel não.. palhaço... =)

soledade disse...

Essa review foi quase a pedido. Eu quero muito saber desse jogo.

Só não entendi uma coisa: os jogadores recuperam todas as 12 cartas em cada turno certo?

Quanto à interacção, está garantida. Mas a estratégia existe ou estamos a falar de puro caos?

Abraços
PS

Cacá disse...

Grande Soledade, sanemos suas dúvidas...

Os jogadores recuperam sim as 12 cartas ao final do turno, para depois separar outro set de 5...

Quanto a estratégia, sim ela está presente, pois tem toda uma percepção de quais cartas serão jogadas no turno, é claro que existe um certo caos principalmente com novatos, mas dá pra se ter controle no jogo...

O grande amigo Fábio Tola o chama de "Citadels que deu certo"... =)

Abraços...

Carlos Abrunhosa disse...

Tu andas a ganhar comissão! :D hehe

Grande abraço!

Cacá disse...

Nem é.. é que me empolgo as vezes com os jogos... aí sabes como é...

Abraços...

Na dúvida, pega o Abade disse...

Opa! Quando sai a próxima Strategos? Graças a ela conheci o Zombi in my pocket!

Cacá disse...

Fala galera da Abadia.. a próxima edição sai agora no início de maio... aguardem que ela tá bem boa...

Abraços...

Cesar disse...

Onde comprar no Br? Joguei em sp e queria comprar

Cacá disse...

Oi César... Você consegue comprar novo com o Fel - lefelbarros@gmail.com ou o Flávio Jandorno - flaviojandorno@gmail.com... é só falar com eles...

Abraços...