Publicidade:

quarta-feira, 4 de março de 2009

Session Report: Fev. 28 - Nit-Encontro (post by Fel)

No final de fevereiro, rolou mais um Nit-Encontro ou como eu prefiro chamar, Ponte das Peças, lá em Niterói, em um Bob's no 2º andar de uma loja de conveniências. A organização fica por conta do Arnaldo, mais conhecido no meio como "Arnie" ou "My Hobbies". O espaço é ótimo. Bancos corridos, almofadas , dois ambientes, ar-condicionado forte. Fui com o Zé Luís, de carro e chegamos em 20 minutos, saindo da Tijuca, bom sinal para quem acha Niterói muito longe (hehe).


Galera animada em Niterói para mais um Nit-Encontro.

Chegando lá uma mesa de Vila Paletti estava montada com a criançada, o Arnaldo e uma amiga. Eu, Zé, Heloíse e Renata montamos um Ticket to Ride. Eu nunca tinha jogado e enquanto escutava a explicação percebi que meu nêmesis estava diante de mim: visualização espacial. Learning session pra galera, o Zé mega viciado, tendo até o jogo do computador, mas como é um jogo que na sua versão básica (parece) tender para a sorte, ele acabou dando azar, perdeu uma rota importante e o jogo para a Renata. Eu fiquei num longínquo último lugar, como era esperado. Percebi algumas nuances interessantes e achei o jogo ótimo como gateway do estilo.


A criançada aprendendo com o Villa Paletti a gostar dos jogos.

Nesse interim, chegou uma galera da edição passada que estava viciada em Grande Chefão! Um outro grupo, formado pela Simone, Nathan, Caco, Carla e Túlio, jogadores da nova geração de Niterói, montaram um Hart an der Grenze, lançado no Brasil como Jogo da Fronteira. E todos ficaram impressionados com a qualidade dos componentes da Kosmos. Uma pena que eu não levei a versão da Estrela para efeitos de humilhação pública (heheheheh).

A criançada continuou jogando, dessa vez o Zooloretto que tem uma mecânica agradável até para adultos, apesar da temática ser meio bobinha , é ótima para a criançada que se divertiu bastante durante o evento.


Um Ticket to Ride para animar.

A galera do Grande Chefão passou para o Saboteur e nós absorvemos a mesa do Hart para uma partida com 10 jogadores de 6 Nimmt!, do Kramer. O 6 Nimmt! é um ótimo filler que com 4-6 jogadores dá margem para pensar e montar jogadas interessantes. Com 10 ele vira uma farra generalizada e passa a ser um party game caótico e tenso. Basicamente, são 4 colunas que começam com uma carta cada um e quando a 6ª carta é colocada em uma coluna , pega-se as 5 anteriores e a 6ª forma uma nova linha. Como o objetivo do jogo é não pegar carta nenhuma, acaba um querendo deixar a bomba estourar na mão do outro. No fim das contas eu e Carla acabamos sem carta nenhuma e dividimos a vitória.

Separamos as mesas e um lado puxou um Escalation e depois emendou o Rumis, ensinei o Stone Age para outro grupo e até rolou uma discussão saudável sobre o número ideal de jogadores. Confesso, que do ponto de vista gamer, o Stone Age é perfeito para 2. Fácil de marcar estratégias e mais decisões difíceis. Em 3, ele ganha agilidade e um espaço a menos nos três mais oncorridos, dando um dinamismo que em 4 não tem. Além de reduzir bastante o tempo de jogo. Ainda ensinei o Pickomino para outro grupo e sempre ouvia as gargalhadas da galera quando conseguia roubar peças dos outros. É um party game bem legal, só fica arrastado com muita gente.


O Slide 5, uma das muitas versões do 6 Nimmnt!

Um casal apareceu e estavam tentando ler a regra do Cloud 9. Descobri que eram a Juliana e o Henrique e juntaram-se a mim, Zé e Heloíse. Acabou que a Juliana e a Heloíse dispararam na frente e a gente nunca mais as viu. Acabou a Juliana ganhando, um ponto na frente da Heloíse. O Cloud 9 está no topo da cadeia pra mim, em termos de jogo BEM leve para quem NUNCA viu
absolutamente nada, junto com o Escalation e o Pickomino. O casal achou ótimo e decidimos puxar o Felix: The Cat in the Sack logo em seguida.

O Felix é do Friedemann Friese (autor do Power Grid). Um jogo bem leve, com o tema meio bobo mas com decisões interessantes e uma mecânica bem simples. Funciona muito bem com 4 ou 5 jogadores, tem uma dose interessante de blefe e como todo bom jogo de leilão, dosar dinheiro e pontos é importante. Não é um jogo excepcional mas para 30 minutos, gosto do custo-benefício.

A galera montou um Arte Moderna, outra mesa roubou o Escalation e para tortura desse que vos escreve, ainda jogaram UNO.


Os gatos ensacados no Felix.

Para fechar a noite, com a chegada de uma galera retardatária, montamos outra mesa de 6 Nimmt! Dessa vez não tive tanta sorte e acabei levando uma mão. Acabou um amigo do Arnie ganhando sozinho, pegando a explicação no meio e não entendendo muito o que estava fazendo eheh.

Bem, como saldo fica a extremamente gratificante presença de novatos, que correspondia a 90% dos jogadores. Não é um evento recomendado para os heavy-gamers, como se pode ver pelo cardápio, mas é sempre louvável ver o crescimento do hobby no Brasil e o intercâmbio cada vez maior entre os eventos "das Peças" aqui no RJ.

4 comentários:

Portal disse...

!!! completão o relatório, estou lisonjeado! fantástica mesmo é a presença de vocês lá! um abraço!
Arnaldo

Cacá disse...

Foi realmente uma pena eu não ter podido ir nessa edição, mas com certeza irei em uma das próximas...

Abraços...

Noivinhos para topo de bolo disse...

Só faltou vc para jogar UNO !!!!
kakakakaka
bjs
Simone
OBS. Temos que relembrar MONOPOLY.

Fel disse...

eaitemjogo

site do ano porra!

Bg-Br Award eh tudo nosso

ahuhauhauha

agora eh so comemorar o reconhecimento internacional