Publicidade:

sábado, 29 de novembro de 2008

Session Report : Nov. 29 - Castelo das Peças

Hoje aconteceu o último Castelo das Peças de 2008, e como tem sido constância lotou. O Antonio como é precavido dessa vez separou duas salas do SESC para o evento, o que fez com que as 53 pessoas que lá estiveram pudessem se acomodar de forma perfeita sem atrapalhar as mesas vizinhas.

Dessa vez consegui jogar algumas novidades e um jogo que a muito tempo tenho vontade de conhecer e ainda não tinha tido a oportunidade, o To Court the King.


As cartas do To Court the King.

Ele é basicamente um jogo de administração de dados e poderes de cartas. Começamos com apenas 3 dados, e numa "malha" de cartas na mesa temos uma série de poderes que vão aumentar suas possibilidades dentro do jogo. Tudo isso para finalmente pegarmos o Rei e vermos no final que consegue a maior sequência direta de dados.

Jogamos eu, Flávio, Camilo e Fel e como apenas o Camilo já tinha jogado foi basicamente um tutorial para todos, além de ensinar as regras ainda deu os "pulos-do-gato" para os novatos. Resultado, acabou ganhando com uma combinação imbatível. Bom jogo.

Depois eu, Camilo, Rogério e Fel passamos para a grande expectativa do Castelo, o Cavum. E para mim o jogo foi exatamente o que eu esperava, mais uma fantástica criação da dupla Kramer/Kiesling (a mesma dupla do Tikal, Torres, Vikings e outros).


Tabuleiro do Cavum.

No jogo somos prospectores em busca de pedras preciosas dentro das minas. Em cada rodada temos 12 ações possíveis (dentre colocar caminhos, dinamites, veios de diamantes, acampamentos e finalmente prospectar), sendo que por vez podemos realizar até 4 ações.

Depois de adquirir as pedras preciosas, os jogadores podem vender ou usá-las para realizar missões que são compradas no início de cada rodada. Depois de 3 rodadas quem tiver mais pontos é o vencedor.

A nossa partida foi bem pra aprender o jogo, então ficamos pensando muito o que fazer em cada ação o que fez o jogo ficar meio arrastado, no final o Camilo deu uma disparada na venda das pedras e nas missões e ganhou, comigo em segundo, Rogério em terceiro e Fel em último.

Depois dessa experiência queimando neurônios, nada melhor que uma corrida de patos de borracha no Duck! Duck! Go!. A mesa ficou formada comigo, Warny, Zé, Pandora, Bispo e Paulo Ricardo.


Setup inicial do Duck! Duck! Go!.

No jogo somos patos de borracha (de verdade) correndo para pegar as 3 boias e chegar no "ralo-final". A mecânica é bem parecida com o Robo Rally, escolhemos simultanêamente as cartas de movimento, abrimos e andamos com os patos, caso haja uma colisão muda-se a trajetória 180º do pato que bateu no que já estava parado. Ainda temos o pato-cachorro que vai atrás dos corredores para atrapalhar a vida.

A partida foi muito divertida e cheia das pernadas, acabou que a Pandora ganhou e levou de brinde um patinho de borracha de duas cabeças.


Aliados "pancando" no Memoir'44.

Depois eu o Zé abrimos um Memoir'44 para ver se ele conseguia me devolver a derrota do nosso último confronto, mas foi pior pra ele. Jogando de eixo ele tentou uma estratégia mais agressiva e acabou pagando pela ousadia, um massacre, 6x1 para os aliados.

Ainda deu tempo de apresentar para ele o Carcassonne: The Castle, e na primeira partida acabei ganhando com uma diferença bem grande, não conseguimos terminar a segunda, mas o Zé já estava jogando bem melhor e estava ganhando quando tivemos que parar. Agora Castelo, só ano que vem.


Carcassonne: The Castle na metade.

— — — — — — — — — — — — — —



Esses dias a coleção ficou maior com a aquisição do Memoir'44 - Operation Overlord e o mapa Hedgerow Hell, Toledo e Rumis. Já na produção de caseiros, terminei o Liberté e o Battle-Line versão bicho-papão, que até já estreei semana passada no Calabouço.

8 comentários:

Fel disse...

Agora nesse final de ano quero focar nas novidades :p

Vamo ve se a gente estreia o Toledo.

Realmente, o Castelo foi bem legal. Foi bom levar meus alunos, o hobby sempre em crescimento

Abrax,

Cacá

Cacá disse...

Fala Fel... Quinta levo o Toledo e o Rumis.... abraços...

rodrigo disse...

Esse Twilight Cavun de vcs me quebrou...
Mas aprendi o dominion ...de ressaca braba e mesmo assim achei genial, rápido e estratégico !!!!!
Ainda panquei o Camilo quando ele tentou usar o chapéu !!!!

E tu só jogou jogo palha !!! HEHEHE
Memoir... vc tem que jogar o combat commander !!!
E no "king nao sei que la" eu to 100%

E o fel aliciando menores para o vício, isso deveria ser proibido !!!!
[]s

Cacá disse...

Coé Rodrigo... o Dominion é realmente muito foda, e se você conseguiu pancar o Camilo com ele jogando de "chapel" mandou bem pra caralho... hehehehehhe...

Eu curto muito o Memoir, acho que ele diverte, não queima muito a mufa e é muito maneiro com aquele monte de miniaturas, o Combat Commander parece ser um wargame mais pesadão, um dia quem sabe eu jogo...

Tu tem é que voltar pro Rio pra gente voltar a jogar... deixa a mesa do Camilo ficar pronta.. hehehehe...

Abraços...

Fel disse...

5a feira me comprometo a jogar o Red November e o Toledo então. Tô pensando em montar um lab das peças por aqui hehe

Abrax.

Cacá disse...

Opa... Um jogo do MM aposto que é daqueles onde o jogador pode ficar quietinho a partida toda e BAM! ganha o jogo... =)

Abraços...

soledade disse...

O Cavum eu achei um jogo um pouco atabalhoado. Tipo pouco elegante.
Não é um mau jogo, pelo contrário, mas com toda aquela arrumação do tabuleiro e as coisinhas todas bem compostas, achei, no resultado, algo confuso. Mas tenho de jogar novamente.

PS

Cacá disse...

Pois é.. ele tem um "Q" de quebra-cabeça com aqueles caminhos todos e tudo mais, o pessoal da mesa também achou ele confuso, comigo foi "amor a primeira vista"...

Mas tenho que jogar mais algumas vezes para ver se será um amor duradouro... =)

Abraços do Brasil...