Publicidade:

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Session Report : Ago. 11 - Calabouço das Peças

Ontem teve Calabouço e eu já tinha ido com o intúito de estrear um jogo e me concentrar nele, e chegando cedo comecei a montar o Roads & Boats.

Pra início de conversa esse post vai servir de resenha para esse jogo, pois acho que vale a pena me apronfundar um pouco mais nele e com o que deu para jogar já dá para falar alguma coisa dele.



Fato curioso, eu levei a minha versão caseira que depois de quase um ano finalmente ficou pronta, mas curiosamente o Bouzada também conseguiu emprestado o jogo original, então deve ter sido o primeiro grupo de jogatina a ter 2 Roads & Boats disponíveis para jogar.

Decidimos jogar o meu (que modéstia à parte é muito mais bonito que o original) e montamos um cenário para 4 pessoas, eu, Bouzada, Guilherme e Franklin. Mesa boa, com jogadores cascudos.

Agora vamos ao jogo. O Roads & Boats é um jogo de administração de recursos e desenvolvimento, com tabuleiro modular e regras detalhadas. Cada jogador começa com poucos recursos (5 tábuas e 1 pedra), 3 burricos para levar seus recursos e 2 gansos. Temos então com isso que montar uma estrutura que nos renda mais material para irmos evoluindo até chegarmos ao momento de conseguir pontos de vitória pesados.


Visão geral do tabuleiro bem no início do jogo.

Para isso o jogo caminha da seguinte forma, primeiro temos a produção. Vale aqui dizer que no jogo você é dono apenas dos seus transportes e dos bens que eles estão carregando. Dito isso vamos a primeira parte do turno, nela você tem a produção de bens primários (toras de madeira, combustível, pedras, barro e ouro/ferro) no prédios já construídos, você pode transformar esses bens em bens secundários, para isso você usa um determinado prédio fornecendo o material necessário para fazer outro (ex: uma tora de madeira na serralheria te rende 2 tábuas). Os bens primários não tem dono, o primeiro que passar pelo tile e quiser pegar para ele pega, mesmo que o jogador que construiu o prédio tenha sido outro.

Depois os bichos vivos (ganso e burrico) podem reproduzir, é a única maneira de aumentar a quantidade deles, mas eles só se reproduzem se estivem em dupla num terreno vazio. Depois você tem as pesquisas, são 7 tipos e servem para dar uma turbinada no seu jogo e serve também para você pode melhorar alguma fábrica de transportes que você tenha.


Um zoom nas estradas desenhadas e nos prédios.

Passada essa fase começa e de movimentação. No início é tudo muito amarrado, pois os burricos só andam um terreno sem estrada (ou 2 com estrada), os gansos não tem dono, mas se você quiser pode carregá-los nos seus transportes ou então fazer com que eles acompanhem um transporte seu. Mais tarde no jogo temos outros tipos de transportes a serem usados, que carregam mais material e andam mais terrenos e atravessam mares e rios.

Na terceira parte do turno começa a fase de construção. Existe uma quantidade grande de prédios que você pode construir, mas o jogo meio que te mostra um caminho, tipo você não vai costruir uma serralheria se não tiver uma madeireira pra te dar a matéria prima. Você so pode construir um prédio por tile de terreno, alguns prédios tem pré-requisitos (ex: madeireira só pode construir nas florestas). Pode também nessa hora dar um "refill" nas suas minas de extração (as minas quando construídas tem um número limitado de material disponível).

Outra coisa a se fazer é construir estradas, isso é uma coisa curiosa dentro do jogo. Na hora do setup, depois de colocar todos os tiles você coloca uma folha de acetato por cima deles, na hora de construir as estradas você simplesmente pega uma caneta e marca o caminho do centro de um determinado tile a um adjacente.

Existem também a construção de pontes entre os rios e a construção de muros, que servem para evitar que algum prédio mais interessante fique a mercê dos transportes de outros jogadores.


Um zoom nas minas já com o jogo bem avançado.

Acabou a fase de construção, o turno termina com a colocação de peças para construção das maravilhas. Essa construção é o que dá pontos no início do jogo, se no desenrolar da partida por algum motivo não se conseguir os pontos mais altos (que são ouro, dinheiro e ações) essa é a única forma de pontução. É nessa fase também que é definida o final do jogo, quando for colocado a peça referente a quantidade de jogadores, acaba-se o jogo e conta-se os pontos, quem tiver mais ganha.

Explicado isso tudo, vamos a nossa partida. O cenário que nós jogamos era bem dividido, três ilhas, as ilhas mais aos flancos foi aonde começamos (dois em cada lado), a ilha do meio era onde tinham as montanhas (único lugar onde podemos construir minas). Então no início é uma corrida para produção de bens necessário para começarmos a expansão marítima, para chegarmos no meio do tabuleiro e começar a fazer ouro.

Na ilha do Bouzada e do Franklin houve uma convivência pacífica, já na minha ilha e do Guilherme houve uma série de cubreagens e construção de muros pra lá e pra cá. O jogo estava indo bem, mas não é o tipo de jogo para se jogar à noite, é daqueles "monster-games" que você tem que marcar um dia só pra ele.

Não foi o caso, depois de umas 4 ou 5 horas de partidas, vendo que teríamos pelo menos mais umas duas ou três (e já eram 3 da matina) decidimos parar a partida naquele ponto. Todos gostaram muito do jogo e com certeza teremos partidas bem legais dele.

Resumindo, é um jogo pesado, com muuuuuita logísitca envolvida, planejamento a curto e longo prazo e definitivamente não é pra qualquer grupo de jogadores. A mim agradou muito, fui dormir pensando em como seria a melhor estratégia de construções e tals e isso com certeza é um ponto positivo pro jogo.

Fatos inusitados : Por ter entendido duas paradas erradas o Bouzada teve dois momentos divertidos no jogo, o primeiro foi acompanhar com curiosidade seus burricos tentando atravessar o mar à nado (explica-se, os transportes são terrestres e marítimos e um não usa o tile do outro) corrigido isso (ele construiu jangadas), foi curioso ver as jangadinhas dele tentando construir muros em alto mar (muros só são construidos em tiles terrestres). Demos boas risadas perturbando ele.

5 comentários:

soledade disse...

Desculpa?! Tu fizeste uma versão caseira do R&B?! E ficou assim!? O jogo custa 80 euros! Ficou espectacular. Maravilha!

Quanto a jogá-lo eu gostei muito da experiência. Só joguei uma vez, a dois jogadores, mas foi muito divertido. E é verdade que, no início podemos cometer alguns erros infantis - tipo ficar sem gansos. Nenhuns!!! No jogo que eu fiz, um jogador distraiu-se e eu, no minha perua lá passei junto aos gansos dele e pumba. Ficou sem nada. Ou seja, sem gansos, não há pontos. Tivemos de voltar atrás na minha jogada se não ele jamais conseguiria voltar a entrar no jogo.

Abraços
PS

Cacá disse...

Fala Soledade...

Pois é, ele custa 80 euros fora o frete, saiu MUUUUUITO mais barato fazer a versão caseira... Fora que os terrenos originais são feios de doer... =)

Realmente ficar sem os gansos é dar adeus ao jogo, tem que se cuidar direitinhos dos bichinhos... hHahHAHahAHa...

Abraços do Brasil...

Victor disse...

Cacá, conheci o Roads & Boats esse fim de semana. Os tiles para montar o cenário parecem ter saído de um Catan malfeito.

Fora isto, o jogo é muito bom, apesar do Bouzada reclamar - corretamente- do cenário escolhido (menos interação e fácil de contruir castelinho de areia).

Quanto aos gansos, me arrependi de ter ficado para trás na pesquisa ao demorar a cruzar os gansos e obter papel. Apesar de ter vencido no critéiro de desempate, foi cruel depender de burros e ter pesquisado apenas o mine shaft.

abraços,

Victor

Cacá disse...

Fala Victor... também gostei muito do jogo e espero jogar ele bastante para pegar bem o jeitão dele...

vê se aparece essa quinta tô pensando em levar o El Grande...

ARichardi disse...

Olá cacá tudo bem !
Rapaz eu adorei a sua versão homemade. De fato o jogo é muito caro e complica importar.
Vc pegou algum pdf(pnp) do jogo ?
Abração
a.richardi@gmail.com