segunda-feira, 2 de junho de 2008

Session Report : Mai. 31 - Castelo das Peças

sApós três edições em Copacabana finalmente consegui aparecer para conferir as novas dependências do Castelo das Peças, e não me decepcionei, pelo contrário, está cada vez melhor.


Foto da mesa de jogos no início do evento.

Primeiro um rápido panorama do que é o SESC de Copacabana. Não tem comparação em matéria de estrutura e organização. Tudo muito limpo, refrigerado, salinha de coffee-break, banheiros limpos. Quanto a acessibilidade, para mim que moro na Tijuca foi tranquilo chegar lá, é perto do metrô da Siqueira Campos, mesmo o Bob's sendo praticamente a 20 minutos andando da minha casa, não é o fim do mundo ir a Copa para se ter um ambiente melhor para jogar e levar seus jogos. Enfim, foi uma mudança super positiva.


Foto panorâmica da sala, ficou ainda mais cheio.

Agora quanto ao evento, essa edição bombou, tivemos mais de 50 pessoas, e teve um momento em que precisamos desmontar o Pitch car (que estava ocupando 2 mesas) para abrigarmos todos jogando. Muito legal também a presença das crianças (nem tão crianças assim) que se divertiram bastante com as opções de jogos que tinham.

Quanto aos jogos, eu cheguei lá às dez e pouco da manhã e iniciei meus trabalhos com o divertido Venus Needs Man!, ameritrash B (se é que isso existe, hehehehehehheehe), no jogo somos raças alienígenas que vem para terra para abdusir a população. Divertido e caótico, mas é o tipo de jogo que eu nunca mais jogo.


Foto do Venus durante a partida.

Depois dele fui ensinar o Taluva para um grupo, jogamos duas partidas que foram bem legais, apesar de ter ganho as duas a segunda foi bem apertada. Mais tarde vou escrever uma resenha maior sobre o Taluva que é um jogo que eu tenho gostado muito de jogar atualmente.

Parti então para um jogo que chama atenção pela beleza das pecinhas, o BattleBall. Ele é um futebol americano do futuro, é todo baseado em dados que servem para definir a movimentação dos personagens e tals, e um dado que tem o formato da bola de futebol americano para definir o lançamento. O jogo tem sua dose de estratégia mas muuuuita sorte, eu depois de ter meu time praticamente eliminado, só sobrando UM jogador consegui passar pela defesa adversária e ganhar o jogo. Durante a tarde joguei mais uma partida e tomei um sacode, mas o jogo é divertido, foi pra wishlist.


Foto do BattleBall, o time vermelho
e os dados do jogo.

Antes de descer pra comer alguma coisa (sim, você não pode ficar andando com comida pelas mesas, ponto pro SESC) joguei uma corridinha de Pitch-Car, esse é um dos viciantes jogos de petelecos que existem por aí, ele é um jogo de corrida, tipo "champicross" onde as mulecada usa chapinhas de refrigerante como os carrinhos, e foi uma corrida tranquila, larguei na pole e fiquei na frente até o final, com o Camilo em segundo e o filho dele em terceiro (quase perdendo a terceira colocação por conta de uma capotagem). A boa notícia é que o Marco, que levou o Crokinole feito pela marcenaria dele, ficou empolgadíssimo para fazer uma versão brasuca do jogo, agora é só esperar, pois se vier com a qualidade do Crokinole vai ser show.


Foto do Pitch-Car antes de uma corrida.

Por falar em trabalho artesanal, tinha uma mesa onde o Zé fez uma maquete em 3D onde ele adaptou o jogo Mall of Horror que ganhou um novo patamar de diversão, o trabalho do cara é animal e ele ficou lá pintando as minis ao vivo, não cheguei a jogá-lo para ver como ficou a adaptação, mas visualmente tava fantástico.


Foto da versão 3D do Mall of Horror.

Voltei do almoço e fiquei um bom tempo só no Crokinole, aquilo é muito viciante, uma rápida opinião sobre o tabuleiro feito pelo Marco, agora que eu tive como compará-lo com o da Mitra eu achei o dele mais legal, tem o deslize muito bom, as peças são muito bem acabadas e as marcações muito bem feitas, dito isso fica claro por que ele saiu de lá com várias encomendas nas mãos.


Foto do Crokinole feito pelo Marco aqui do Rio.

Depois conheci dois jogos muito bacaninhas, o Pool Position e o Seismic. O primeiro é um área-control onde você tem a beira da piscina de um clube chique e tem que conseguir os melhores lugares nas espreguiçadeiras, o tema é engraçado e a mecânica é bacana.

Já o Seismic é um jogo de colocação de tiles onde somos engenheiros montando estradas partindo da falha de San Andreas, temos sempre 3 opções de tiles abertos e como no Carcassonne, onde colocarmos o tile podemos marcalo como nosso com uma pecinha colorida. O problema é que volta e meia quando abre-se um novo tile pode acontecer um terremoto que destroi as estradas já existentes abrindo novas possibilidades.


Fotos do Seismic e do Pool Position.

Nas duas partidas eu me ferrei feio, mas acabei gostando dos dois jogos. O que não foi o caso da minha última estreia, o Felix: The Cat in the Sack que eu tentei jogar mas achei muito confuso e sem graça, nele estamos tentando comprar os gatos bons e nos desfazer dos ruins, jogo de leilão, mas muito caótico.

Ainda tivemos o sorteio de três Guinness dos Jogos de Videogame, não ganhei, mas foi legal a iniciativa e a parceria que a organização fechou com a Ediouro (que inclusive mandou várias revistar Coquetel pra distribuir entre a galera).

Saí de lá quase no final e com certeza estarei no próximo.

4 comentários:

Formiga disse...

bacana... em agosto vou tentar ir no Rio e conhecer o evento...

Cacá disse...

Pô, Formiga, venha sim, com certeza será muito bem recebido, e terá muitas mesas caso o "vício" fale mais alto... hehehehehehhee

Eduardo disse...

Faltou dizer que você e o Rodrigo tomaram um sacode da Débora no Crokinole ... hehehe

Cacá disse...

É verdade... aliás, vou te mandar a foto dela, ficou muito boa... hahahhahaahahah