Publicidade:

terça-feira, 3 de junho de 2008

Resenha : Taluva



Depois de algumas partidas dele acho que posso falar um pouco do Taluva. Lançado em 2006, e criado por Marcel-André Casasola Merkle que também é autor de outro grande jogo o Attika.

Esse é um jogo típico de colocação de tiles, mas com algumas peculiaridades que o tornam bastante interessante. Cada tile é formado por 3 tipos de terreno, obrigatoriamente um é um vulcão, os outros dois variam entre cinco outros tipos existentes (rio, areia, clareira, rocha e mata fechada). E cada jogador dispõe de 3 tipos de construção (templo, observatório e cabanas).

O jogo se desenvolve da seguinte forma, pegamos um tile da pilha, colocamos no tabuleiro e podemos construir ou expandir uma aldeia.


Os três tipos diferentes de construção (templo,
observatório e cabana).


Na colocação do tile temos algumas das paradas bacanas no jogo, podemos colocá-lo em vários níveis, por exemplo, podemos manter o jogo “ao nível do mar” ou ir subindo, para isso obedecemos uma regra, só podemos colocar vulcão sobre vulcão e sempre tomando cuidado para que a direção da lava não esteja igual nos dois tiles.

Nessa hora você pode inclusive destruir cabanas durante a colocação do tile, mas nunca poderá acabar com uma aldeia completamente, e nem passar por cima de outras construções que não sejam cabanas.

Para que iríamos subir os níveis do tabuleiro? Simples, por conta das construções. O observatório só pode ser construído no terceiro nível do tabuleiro, e na hora da expansão quanto mais alto forem os níveis, mas cabanas podem aparecer.


Durante a partida o tabuleiro vai ficando assim.

Vamos explicar, depois de colocar o tile vem a parte da construção/expansão, nessa hora você pode construir uma cabana (essas só podem ser construídas no primeiro nível), um templo (mas esse só pode aparecer depois que a sua aldeia já tem pelo menos 3 espaços construídos), construir o observatório (como já foi dito, esse só aparece no nível 3 do tabuleiro) ou então expandir.

A expansão funciona assim, você escolhe um tipo de terreno (dentre os cinco que eu já citei) e coloca uma cabana em cada um desses adjacentes a aldeia escolhida, só que para cada nível do tabuleiro você pode colocar uma cabana à mais (ex: no nível 2 duas cabanas, no nível 3 três cabanas e por aí vai).

Ganha o jogo quem no final tiver mais templos (o desempate é pelo número de observatórios e depois de cabanas). Outra forma de ganhar o jogo é exaurindo duas dos seus três tipos de construção.

O jogo é muito bacana, bem estratégico e do tipo que quanto mais você joga, mais vai pegando as manhas e descobrindo novas formas de usar as vantagens na hora de construir/expandir. Em todas as vezes que joguei, sempre foram partidas com 4 pessoas, e ele funciona muito bem. Acredito que seja um ótimo jogo também para 3 ou 2.

2 comentários:

Carlos Abrunhosa disse...

Olá

descobri o teu blog e vou juntar o link ao nosso blog

Espero que nos visites também

http://jogoeu.blogspot.com

Cacá disse...

Opa.... obrigado pela visita... o de vocês eu já conhecia através do Jogos de Tabuleiro... vou coloca-los nos links... ;)