Publicidade:

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Resenha : Mr. Jack



A velha Londres está em pânico, um assassino em série está deixando as autoridades em polvorosa, e ninguém tem idéia de sob que cara Jack, o estripador se esconde.

Com esse premissa temos um excelente jogo de dedução e estratégia, o Mr. Jack. Idealizado por dois autores bacanas Bruno Cathala (Shadows Over Camelot) e Ludovic Maublanc (Ca$h 'n Gun$), eles trabalham juntos mais uma vez nesse jogo (a primeiro jogo dos dois é o Cleópatra).

O Mr.Jack é um jogo para dois, onde um encarna o próprio Jack e o outro os inspetores da polícia que tentam encontrá-lo, mas acontece que um dos inspetores é na realidade Jack disfarçado.


Setup inicial da partida, com todos os personagens
dispostos
de uma maneira pré-definida e equilibrada.


A mecânica do jogo é bem interessante, existem 8 personagens, cada um tem um poder especial e uma quantidade de movimento, no início do jogo embaralha-se as 8 cartas de "inocência" e as 8 cartas de personagens. Jack pega uma carta de "inocente", e é sob esse personagem que ele está disfarçado e tem que fugir da polícia ou do tabuleiro.

A movimentação é bem bacana, a cada round são abertas 4 cartas de personagens, e nos rounds ímpares o Inspetor anda com um personagem, Jack anda com dois e o Inspetor novamente anda com o último (nos rounds pares a ordem é inversa). Após os personagens andarem o Inspetor pergunta à Jack se ele está sendo observado pelo jogo. Isso acontece quando Jack está adjacente a algum outro personagem ou está sob a luz dos candêeiros (que vão sendo apagados sistematicamente até o quarta rodada).


Nesse caso os personagens estão iluminados pelo candêeiro,
como Jack não é nenhum dos dois, eles são inocentados.


O jogador então fala se Jack está visível ou não, então os jogadores que estivem de uma forma diferente a anunciada são logo inocentados (e seus peões são virados de forma que as carinhas fiquem brancas).

Quando o Inspetor tiver certeza de quem é Jack, leva qualquer um dos peõs até a mesma casa dele e o acusa. Se a acusação for verdadeira o Inspetor ganha, caso não seja, Jack ganha. Ele também ganha se até a oitava rodada não for descoberto, ou então se conseguir fugir do tabuleiro.

O jogo é bem estratégico, e os poderes dos personagens dão uma movimentação bem interessante a eles, além disso o fato de em toda rodada Jack ter que se "apresentar" faz com que o jogador que está com ele pense bem em como vai mexer e não somente em fugir.

É uma ótima opção para duas pessoas, com arte caprichada e regras simples agrada principalmente a galera que gostava dos clássicos como Interpol, Scotland Yard e Detetive.

Nenhum comentário: