Publicidade:

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Resenha : Arkadia



Vamos falar um pouco desse que foi a minha grande aquisição desse ano, o Arkadia. Nele cada jogador é um arquiteto trabalhando no crescimento da cidade de Arkadia, para isso usamos trabalhadores para construir prédios (com formatos que lembram o Tetris e o Prince of Florence) e o castelo (que usa umas pecinhas iguais ao do Torres).

A mecânica do jogo é bem simples, cada jogador na sua fase tem 3 tipos de ação possível. Começar a construção de um prédio OU colocar trabalhadores em jogo, e uma ação bonus que é vender suas bandeiras (que servem para pontuar e receber novos trabalhadores da sua cor).

Existem 4 "famílias" que pagam pela construção da cidade, essas "famílias" são representadas por selos de cores distintas e são o que dão os pontos no jogo. Cada vez que você fecha um prédio (entenda-se "fechar um prédio" como não deixar espaços ortogonais à ele desocupados) ganha-se o selo indicado, mais a quantidade de trabalhadores da sua cor que estiverem ortogonais à ele, incluindo aí os trabalhadores de outros jogadores. Nesse momento coloca-se uma das torres no castelo.


Victor, Warny e Eu numa partida no Calabouço.

Para pontuar os jogadores "vendem" suas bandeiras (cada um tem apenas 4 para o jogo todo). Nesse momento o jogador escolhe quantos selos quer vender e ganha os pontos multiplicando-os pelo número de selos que estão no topo das torres do castelo.

O jogo termina quando fecha-se o segundo andar do castelo, aí rola mais uma rodada para cada jogador, vende-se o restante dos selos e quem tiver mais grana ganha.

O jogo é muito bom e a cada partida eu gosto mais dele, tem uma grande rejogabilidade e com regras rápidas de se aprender você consegue colocar novos jogadores na mesa sempre. E para quem jogou mais vezes é sempre um bom desafio.

Nenhum comentário: